C.F. PEROSINHO - 3 x S.C.S. 08 - 3: 7.ª Jornada
GR - 1 - Rui Alves
DD - 2 - Passos (Capitão)
DC - 3 - Nandinho
DC - 4 - Zé Maia
DE - 5 - Moreira
MC - 6 - Samuel
MC - 7 - Fábio
MD - 8 - Pedrinho
AC - 9 - Tó-Zé
AC - 10 - Quim Simões
ME - 11 - Rochinha

Treinador: Pedro Reis

Golos:
28' Tó-Zé
72' Artur
80' Carminé

Subs:
22' 14 - Monteiro por 4 - Nandinho
43' 18 - Carminé por 11 - Rochinha
64' 15 - Artur por 8 - Pedrinho

Suplentes não utilizados: Freitas, César, F. Almeida, Rúben

Outra tarde de Sol com o Salgueiros 08 a ser recebido num campo de grandes dimensões, onde infelizmente e apesar de ter uma bancada lateral semi-vazia , o Perosinho reservou uma bancada de topo que permitiu ver o jogo a uma distância assinalável.
Na equipa algumas mudanças: com Eládio a não recuperar de uma lesão contraída no treino de Sexta-Feira, Nandinho estreou-se a jogar este ano; Samuel tomou o lugar de Monteiro no meio campo; Pedrinho passou de 2.º avançado para médio-ala direito; Rochinha também se estreou, recuperando a posição de ala esquerdo onde jogou durante toda a sua formação no Leixões; Quim Simões passou para 2.º avançado com Tó-Zé a regressar à equipa para ponta de lança.
Apesar de não ter constado da informação da convocatória aqui colocada, Figueiredo não era opção para este jogo por ter contraído uma lesão nas costas no treino de Quarta-Feira.
Com estas escolhas já só Passos e Moreira somam 7 jogos como titulares.
O jogo começou aberto com várias oportunidades para as duas equipas. A primeira foi para o Salgueiros 08 com Quim Simões que recebeu passe cruzado de Passos, entrou na área e assistiu Samuel que surgiu na zona de penalti para rematar ao lado.
Nos dois minutos seguintes mostrou-se que a defesa do Salgueiros continuava a mostrar dificuldades, especialmente no futebol aéreo. Ao 4’ Rui Alves respondeu com grande defesa a cabeceamento com perigo, seguindo-se logo novo ataque com perigo para o Perosinho.
Ao 6’ em jogada quase repetida de novo Quim Simões entrou na área pelo lado direito assistindo Tó-Zé que dominou de pé esquerdo e em posição favorável, rematou para a defesa do guarda-redes contrário, que teve o mérito de sair bem fazendo a mancha.
O ataque do Salgueiros beneficiava e muito de Quim Simões regressar à posição de segundo avançando com liberdade de movimentos, fazendo muitas vezes superioridade no lado direito do ataque da equipa, em combinações com Passos e Samuel.
Infelizmente num canto aos 8’ o Salgueiros demonstrou de novo as dificuldades de marcação que têm sido notórias nas bolas paradas e sofreu o 1x0.
Logo a seguir o Salgueiros até marcou, com Quim Simões receber a entrada da área e rodar muito bem, isolando Samuel que marcou sem dificuldade. A jogada foi anulada por fora de jogo bastante duvidoso. Samuel deu mais um sinal, que foi notório em todo jogo, de capacidade de chegar a zonas de finalização com facilidade, dando mais soluções de finalização à equipa.
O Perosinho ‘cheirou’ de novo o golo aos 12’, após bom cruzamento da direita que só por muito pouco não foi direito à cabeça do avançado. O Salgueiros respondeu de novo com Pedrinho a servir Samuel que cruzou de novo para a marca de penalti, calhando desta vez a tentativa a Quim Simões, que rematou fraco para o corte do defesa.
O Perosinho ia criando sérios problemas ao Salgueiros, circulando bem a bola e usando toda a largura do relvado, cuja grande dimensão pareceu beneficiar a equipa da casa. Tentando melhorar a defesa da equipa Pedro Reis retirou Nandinho para colocar Monteiro a central, mas as melhorias foram poucas no imediato.
Aos 26’ surge a segunda situação de gravidade na arbitragem do jogo, após um livre da direita que Fábio desvia para a baliza, com um defesa do Perosinho a cortar a bola com a mão quando esta se encaminhava para a baliza. Penalti e cartão vermelho por mostrar.
O Salgueiros continuou a tentar marcar e aos 27’ foi Pedrinho quem entrou na área para assistir Samuel que à entrada da área rematou ao lado, na 4.ª jogada quase igual pelo flanco direito que o Salgueiros não conseguiu finalizar com êxito.
A insistência deu frutos no minuto seguinte, com Tó-Zé a entrar na área libertando-se de dois defesas, e depois a rematar ao lado oposto, estreando-se a marcar pelo Salgueiros, festejando de chupeta na boca.
Parecia que o Salgueiros poderia crescer no jogo com o golo, mas não teve tempo para tal, permitindo o 2x1 no minuto seguinte, tendo a equipa entrando em desorganização total. Corria-se muito atrás da bola mas com pouco sentido. O Perosinho foi crescendo e trocando a bola com qualidade, usando toda a largura do canto para depois criar perigo com cruzamentos bem colocados. Assim, aos 33’ tem um remate à barra e quase marca na recarga também, fazendo no canto no subsequente o 3x2.
A única outra jogada para o Salgueiros na primeira parte foi conduzida por Quim Simões pela direita, que fez um excelente passe entre dois defesas para Tó-Zé que é rasteirado perto da linha da área, quando ficaria isolado se recebesse a bola, mostrando o árbitro só o cartão amarelo.
O Salgueiros continuou com muitas dificuldades até ao final da primeira parte, e aos 42’ quase podia ter sofrido o 4x1, após o avançado ganhar o ombro a ombro com Monteiro e falhar ao tentar fintar Rui Alves, que conseguiu evitar o golo já no chão. Antes do intervalo entrou Carminé para o lugar de Rochinha.

A segunda parte iniciou muito lenta de parte a parte, com o Perosinho naturalmente satisfeito com o 3x1 e o Salgueiros incapaz de criar situações de perigo, com o primeiro sinal de perigo aos 49’ para o Perosinho, com o avançado a rodar sobre Monteiro e a rematar para defesa com o pé de Rui Alves.
Aos 72’ Passos faz um passe por cima da defesa encontrando Artur flectido na esquerda sozinho da área, que de um ângulo muito difícil faz um grande golo colocando no ângulo oposto.
Artur logo a seguir quase se isola mas alguma hesitação permitiu o corte do defesa do Perosinho. Nesta altura já o Salgueiros carregava, com grande apoio dos adeptos, encostando o Perosinho à sua defesa. O empate chegou aos 80’, após um passe ainda de trás do meio campo de Fábio para Passos, que fintou um defesa e passou para Carminé, que pós flectir da direita para o centro rematou colocado, junto à base do poste.
A equipa galvanizou-se e com 10 minutos para jogar parecia possível a vitória… se bem que o 1.º sinal de perigo veio para o Perosinho com um avançado a receber dentro da área contornando Monteiro, que fez um corte em esforço afastando a bola, algo arriscado tendo também havida inevitável contacto com o avançado.
Mas o Salgueiros ainda mostrou um pouco de Alma, antes do apito final, com duas oportunidades claras de golo. A primeira por Tó-Zé aos 88’, que isolado e após fintar o guarda-redes, enquadrou-se com a baliza e rematou permitindo um corte acrobático de um defesa a fazer de guarda-redes. A segunda por Zé Maia, respondendo a cruzamento de Carminé num livre do lado esquerdo, a que o guarda-redes do Perosinho respondeu com uma grande defesa, lançando-se para defender a bola junto ao chão quando já se festejava o golo.

Em resumo, um jogo com imensas oportunidades de golo, que se calhar somadas, justificam e dão sentido ao resultado de 3x3. Para o Salgueiros fica a continuação da necessidade de procura de uma equipa base e muito trabalho para estabilizar os processos defensivos da equipa, onde continuam visíveis muitas lacunas.
Um palavra final para o único elemento que foi constante e exemplar neste jogo: os adeptos do Salgueiros. Como dizia o repto da semana passada, souberam puxar pela equipa e não esperar que ela puxasse por eles. Mesmo com a equipa a perder por 3x1, o topo da Alma Salgueirista apoiam com uma atitude e pujança como não se tinha visto ainda este ano, muito menos com a equipa a perder. Após recuperarem o bombo que as autoridades impediram que marcasse presença na 1.ª parte, foram parte integrante da reviravolta que salvou 1 ponto deste jogo, e estão por isso de parabéns.
4 Respostas
  1. De facto a massa adepta do Salgueiros foi exemplar, mostrou que está com a equipa quer esteja a ganhar quer esteja a perder. Não duvido que é de facto o merecido 12º jogador. O mesmo não se pode dizer da massa adepta dos nossos adversários que só lá vai quando por lá passa o Salgueiros, e só puxa ou bate palmas quando estão a ganhar, como foi o caso de ontem. No final ainda se sentiram diminuidos pela actuação da arbitragem e fizeram um espectáculo de teatro de má qualidade à saída do árbitro. Enfim.

    Quanto à equipa do Salgueiros, mais uma vez soube estar e lutar contra as adversidades. É certo que a nossa defesa está sempre às aranhas, que cada lance do Perosinho ontem era meio golo, nota-se muita confusão e acima de tudo muita falta de confiança. Mas isso é trabalho para se resolver com treino e com o treinador a conhecer melhor a sua equipa e os adversários. Muitas das decisões são inadequadas, e há que ter a presença de espírito para aprender com os erros e acima de tudo preparar ainda melhor os jogos com os nossos adversários.
    Gostava de salientar o brilhante Quim Simões, sempre a lutar, ganhar bolas e a dar jogo. Indispensável. Saliento também o, finalmente, raçudo e lutador Tozé, ontem fez toda a diferença, é um jogador sem medo e que joga para a equipa. Na minha optica devia jogar sempre, com o Quim Simões e o Heitor quando regressar. Temos um ataque de luxo, é isso que temos que previlegiar, as outras equipas deviam-se encolher com a nossa presença atacante e assim teriam muito menos capacidade de atacar...
    Parabéns aos que entraram de suplentes, estiveram à altura de gigantes. Bravo!


  2. jose Says:

    como salgueirista e apoiante da equipa, venho a constatar desde ha muito tempo que a nossa equipa, esta mal estruturada e mal orientada, e tive mais uma vez a oportunidade de constatar isso no passado domingo em Perosinho, onde o treinador Pedro Reis, em vez de entrar com a melhor equipa, não o fez, e pior ainda, meteu de inicio o Nandinho para ter que queimar uma substituição, pelo facto deste jogador não estar em boas condições fisicas. Mais me surpreende o facto da nossa equipa estar a sofrer muitos golos, principalmente em cruzamentos, e como candidato há subida, não ter um padrão de jogo definido. Vamos arrepiar caminho rapidamente para que estes erros não voltem a acontecer
    Entendam isto como uma critica constructiva, de alguem que se habituou desde muito novo a gostar do Salgueiros. Saudações desportivas deste vosso amigo

    Jose Cabral


  3. spotink Says:

    mais uma vez equipa mal formada.
    Mas la bem os defensores da patria dizer que o pedro e que os treina e que sabe quem esta bem...etc,etc!!
    Isso sao so desculpas, andam a tapar os olhos aos socios.
    Acordem!!Toda a gente ve que alguma coisa nao corre bem!!!sera o esqumq tactico?sera o treinador?sera os jogadores?
    Ninguem sabe!!!E certo que ainda nao perdemos mas tb ja estamos a 4 pontos do preimeiro e pelo andamento quando alguma coisa for feita ja vai ser tarde.
    Ironia so se lembraram do figueiredo esta semana.e as outras em que nao esteve lesionado?
    So se pede uma coisa muito simples ao terinador, que ponha os jogadores a jogar nos seus lugares.
    Ja me faz lembrar o quique flores!!ate na postora no banco.

    Acordem ...............


  4. RF3 Says:

    Sempre defendi a inclusao do figueiredo, se a coisa que eu nao gosto e de injustiças e como nimguem explicou porque ele nao joga desde o 1jogo,ele nao pode passar de bestial a besta, se bem que quem anda no futebol sabe que isso e o que mais acontece, na pre epoca, entendi que ele estava ajogar mal, eu proprio o dize, mas ja que os que la estao nao estao a fazer melhor, e todos teem 1 oopurtunidade,ele tambem deveria ter!


Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.


  • PRóXIMO JOGO

    SCS08 x NOGUEIRENSE
    SAB., 15 FEV. 15:00
    EST. PADROENSE



    COMENTÁRIOS

    ETIQUETAS