S.C. CRUZ - 2 x S.C.S. 08 - 7 - 15.ª Jornada
II Divisão Distrital da Associação de Futebol do Porto
15:00h, 4 de Janeiro de 2009
Campo do Outeiro

GR - 12 - Miguel
DD - 2 - Passos
DC - 3 - Eládio (Capitão)
DC - 4 - Nandinho
DE - 5 - Rochinha
MC - 6 - Telmo
MD - 7 - Carvalho
MC - 8 - Fábio
AC - 9 - Heitor
MC - 10 - Rui Lima
ME - 11 - Carminé

Treinador: Pedro Reis

Subs:
6' 16 - Monteiro por 3 - Eládio
42' 15 - Fernando Almeida por 7 - Carvalho
77' 18 - Mário por 8 - Fábio

Golos:
10' Heitor, 46' Heitor, 49' Fernando Almeida, 59' Fernando Almeida, 60' Carminé, 64' Fábio, 74' Fernando Almeida (grande penalidade)

Suplentes não utilizados: Igor, Almeida, Miguel Pereira, Rúben


Tarde de imensas emoções e muito frio no Campo do Cruz, com o Salgueiros a ‘jogar em casa’, na sua Freguesia de Paranhos e com imensos adeptos a lotarem os lugares que havia disponíveis, incluindo felizmente a bancada amovível que em muito aumentou a lotação do recinto.

A equipa inicial tinha algumas surpresas. Eládio que vinha de recuperar de lesão muscular, entrava de novo na equipa em dupla com Nandinho. O meio campo era quase todo novo: Telmo a trinco, Fábio na posição intermédia e Rui Lima desta vez mais avançado. Monteiro começava pela primeira vez na época um jogo no banco.

O jogo começou com bom ascendente do Cruz. Logo aos 2’ um seu avançado ganha espaço e quase isolado atira rasteiro ao lado.

A tarde começava a adivinhar-se aziaga aos 6’ com Eládio a ressentir-se da lesão anterior e a ter que ser substituído por Monteiro, que jogou a defesa central. Dois minutos depois o primeiro balde de água fria… Após cruzamento a que Miguel falha a intercepção na recarga o Cruz marca, aproveitando que Miguel estava fora da baliza.

Mas logo a seguir, voltava tudo ao início. Carminé desmarca-se na esquerda e avança bastantes metros com a bola dominada. Olha para a área e vê Rui Lima e Heitor a posicionarem-se. Após temporizar o que parecia uma eternidade finalmente cruza ao segundo poste, e Heitor eleva-se mais alto que o oponente directo e cabeceia de cima para baixo, marcando o seu 10.º golo da época.

Logo a seguir o Salgueiros até conseguiu criar de novo perigo. Primeiro aos 17’, com Heitor a entregar a Carminé (que rematou imenso durante todo o jogo) para bom remate cruzado ao lado. Aos 20’ após livre de Carvalho na esquerda e desvio de Heitor, Nandinho ataca a boca já em esforço e só consegue desviar já muito perto da baliza mas inevitavelmente por cima.

A partir daí a primeira parte pertenceu sempre ao Cruz. Mais prático e adaptado ao terreno foi ganhando ascendente e ganhando metros no terreno. O meio campo do Salgueiros não conseguia ter a bola e parecia pouco unido e em inferioridade física para com os oponentes directos. Quase todos os jogadores do Salgueiros perdiam bolas com frequência após maus primeiros toques a tentar dominar. Como resultado deste ascendente aos 28’ e após uma primeira boa defesa de Miguel que deu em canto, o Cruz marca nesse canto, com dois jogadores a tocarem na bola dentro da área do Salgueiros sem oposição.

De novo aos 36’ o Salgueiros mostrava vacilar nos processos defensivos, e após passe cruzado um avançado do Cruz aparece isolado e remata rasteiro e cruzado, mas ao lado.

Em todo o resto da primeira parte só mais uma oportunidade para o Salgueiros, num livre de Carminé do meio do meio campo do lado direito, com a bola a embater na barreira no remate inicial, depois de novo na 1.ª recarga e na 2.ª, num remate já em jeito a bola quase que entra junto à barra não fosse a defesa muito boa do guarda-redes do Cruz. Seria um excelente golo para Carminé.

A segunda parte iniciava com o homem que mudou o jogo já em campo, entrado aos 42’ minutos, a demonstrar a sua importância ainda antes do jogo reiniciar. Fernando Almeida já aí distribuía indicações pelos seus colegas.

Foi neste momento que o Salgueiros teve sorte neste jogo, conseguindo a cambalhota no resultado de forma muito rápida, com uma eficácia terrível que matou animicamente o Cruz. Logo aos 46’ Heitor bate um livre rasteiro que nem entra com muita força, mas o GR do Cruz não a consegue alcançar talvez por estar a adivinhar o remate para o lado oposto. Três minutos depois Fernando Almeida é bem assistido na esquerda, entra da área e à saída do GR coloca para o lado contrário em jeito.

Depois disto o Cruz quebrou e foi perdendo metros em campo, não conseguindo mais ter posse de bola em zonas ofensivas. Ao Salgueiros na frente tudo parecia correr bem. Fernando Almeida mexia com todo o ataque, não ficando colado à linha, e criava desequilíbrios constantes, principalmente nas combinações com Heitor.

Aos 56’ Heitor tentou repetir o golão da semana passada ainda mais de longe. Do meio do meio campo tenta o chapéu com a bola a embater na barra e Rui Lima a falhar a recarga de cabeça.

Três minutos depois, em mais um livre teleguiado pelo endiabrado Carminé, o GR do Cruz evita agarrar e deixa a bola sobrar para Heitor junto à linha final. Este troca a bola de pé e coloca ao segundo poste com açúcar, para Fernando Almeida que aparece a cabecear e a marcar. Com 4-2 os Salgueiristas julgavam que estava tudo visto e mais não podiam pedir do primeiro jogo do Ano Novo. Enganavam-se. Aos 60’, 1 minuto depois apenas do 4.º surge o 5.º golo. O golo que premeia a excelente exibição de Carminé e que ficará na memória como talvez o melhor da época. Recebendo um passe por alto no flanco esquerdo, ainda muito longe da área, Carminé enche os pulmões e o pé esquerdo, o seu predilecto, e remata de primeira em volley cruzado, com a bola a entrar no ângulo contrário depois de sobrevoar o GR do Cruz. Passou-se da alegria para a histeria.

Fábio estreou-se a marcar aos 64’, após Heitor receber a bola à entrada de área e de costas ‘pisar’ para o número oito, que apareceu à entrada de área e rematou seco para golo.

Fernando Almeida fechou o hat-trick numa grande penalidade, após corte com a mão dentro da área. Nos últimos 15 minutos o Salgueiros ainda criou perigo por algumas vezes, quase sempre na sequência de cruzamentos de Carminé para Heitor.

Como em S. Romão o Salgueiros conseguiu hoje dar a volta a um resultado desfavorável num campo difícil para o seu futebol. Mais do que tudo foram importantes os 3 pontos, para reduzir a diferença para o Pedroso, mas este jogo deve também servir para tirar bastantes ilações.

A insegurança em momento defensivo continua a afectar a equipa, com muito golos sofridos de forma evitável, isto apesar de hoje quer Monteiro quer Nandinho terem estado muito bem. Esses golos têm obrigado a esforço redobrado para recuperar resultados. O jogo no meio campo, como em S. Romão ou até em Vila do Conde por exemplo, precisa de mais organização e menos perdas de bola, facto hoje algo compreensível pelas poucas rotinas da tripla utilizada.

De bom também muito se pode retirar. Grande exibições dos defesas centrais, de Carminé e de Heitor e Fernando Almeida na frente. Uma enorme garra em campo, que tornou possível a reviravolta e uma energia imensamente positiva que vinha dos espectadores. Muita capacidade concretizadora, quer em bolas paradas quer em jogadas de futebol corrido, e golos divididos por muitos jogadores.

Para os Salgueiristas fica também na sua imaginação o que seria a vida desportiva da sua equipa se tivesse instalações desportivas próprias na sua freguesia. Hoje novamente reviram-se caras que andaram ausentes durante anos. Numa altura que até os grande clubes  portugueses falam em falta militância os Salgueiristas dão o exemplo, proporcionando tardes desportivas como a de hoje.

9 Respostas
  1. O Salgueiros é GRANDE e mais nada.


  2. Chamava a atenção para 2 situações do jogo de hoje que evidenciam a falta de conhecimento das leis de jogo de atltas e árbitros.

    Ainda na primeira parte, e por duas ocasiõs, os jogadores do Cruz executaram lançamentos de linha lateral perdo da sua grande área, colocando a bola no peito de um colega que colocado junto ao guarda-redes, amortecia a bola para as mãos deste.

    Este artifício ensaiado, mais não é do que uma deturpação da "Lei do Atraso ao Guarda-Redes", para a qual a FIFA prevê punição.
    (Da mesma forma que um jogador não pode levantar a bola com o pé, para a atrasar de cabeça para o guarda-redes).

    É fundamental estarmos atentos, e através de jogadores treinadores e dirigentes, não nos deixarmos ser vítimas de mais esta forma de anti-jogo


  3. Porque este blog tem pautado pelo desportivismo e civismo, e porque entre os seus leitores e participantes se contam também adeptos dos nossos adversários, gostava de fazr uma referência à completa falta de educação desportiva da "claque" do Cruz.
    Coloco as aspas, porque o que me chocou nos "insultos coreografados" proferidos do alto da bancada central do Campo do Outeiro, foi o facto dos seus autores ser, nem mais nem menos que a equipa de juvenis ou coisa que o valha da equipa da casa. Equipada a rigor e tudo!!!

    Como se diz que o Desporto é uma Escola de Virtudes, não há nenhum dirigente do SCCruz que enfie umas lamparinas nos seus meninos malcriados -ditos Atletas em Formação - , e ensine que não se insulta o nome de um vizinho, e muito menos o de um "colega" futebolista?


  4. SCSsempre Says:

    Nos somos tao grandes que eles so cantam o nosso nome SALGUEIROS, os dirigentes ate devem achar piada, e por isso que o futebol portugues esta de rastos, eu na minha opiniao se vou ao jogo e para apoiar a minha equipa nao e para insultar os outros. Desde que a minha equipa ganhe nao ligo aos outros , porque nao me dizem nada, mas eles ligam porque nos no fundo somos o maior clube que alguma vez jogou contra eles, ate confetis levaram parecia a final da champions LOOL.

    Mas a equipa do cruz ate nao entrou muito em picardias, os centrais ao que os ouvi dizer eram salgueiristas ( quem nao e? ) e aquele que entrou a que chamaram " mantorras " na equipa do cruz estavase a rir com as piadas e as bocas nao ligou e ainda brincou, isto e ser desportista, sabe que eramos superiores , e que estavamos a ganahar muito bem , para que entrar em picardias e em insultos se nao teem razao?

    Mas asssim se ve a nossa grandeza


  5. Flash Says:

    Hoje não pude ir ver o meu clube por razões de ordem maior, mas sinto-me imensamente feliz por mais esta vitória na nossa terra: PARANHOS!!!

    Eu acredito que o nosso clube vai subir e mesmo que não seja este ano espero que todos os nossos adeptos continuem a dar a todo o panorama desportivo português a lição de amor ao clube que todos damos semana após semana onde quer que joguemos.

    Ser deste clube é algo que não está ao alcance do entendimento de todas as pessoas. Poderia dizer-se que ser salgueirista é ser diferente. Não é!
    Ser Salgueirista não é ser-se diferente mas sim ter a capacidade de ser solidário com um clube nos melhores e nos piores momentos. Da 1ª liga à 2ª distrital o nosso fervor não muda e é isso que nos distingue dos demais.
    Ser Salgueirista não é ser diferente porque o Salgueiros não é diferente, o Salgueiros, (seja Comércio ou 08) é EXTRAORDINÁRIO porque nem tão pouco precisa de ser um clube, é a fé de um povo!

    P.S.
    Parabéns a quem dirige este blog, é uma fonte importante de informação.
    Força!


  6. SCSsempre Says:

    A GRANDE COMENTARIO DO " FLASH " QUEM FALA ASSIM SO PODE SER SALGUEIRISTA ;D


  7. lpml Says:

    Concordo em pleno com o Minetum Expertis, quando faz referencia à completa falta de educação desportiva...
    so k é preciso antes de apontar o dedo, olhar para o nosso umbigo
    senao vejamos
    um jogo muito recente...
    SAlgueiros X Pedroso
    vi adeptos do salgueiros partir parte da cobertura do banco de suplentes do adversario(e depois ainda acusaram o pedroso de anti-jogo)...
    vi jogarores a serem insultados... e o pior e mais feio k vi
    jogadores na linha a serem cuspidos assim como o massagista...
    salgueiros uma equipa grande tem k ser grande em tudo, nao é o dentro de campo, e sinceramente tinha outra ideia da massa associativa do salgueiros.
    e um pouco de humildade tambem nao faz mal nenhum....

    Parabens pela Vitória e pelo grande jogo


  8. Mais uma GRANDE VITORIA...

    Parabens aos nossos jogadores por mais esta vitoria, fizeram uma excelente segunda parte. A jogar sempre assim nao ha quem nos pare.

    De destacar as exibicoes do sr. fernando almeida que tem aquela classe, do heitor pela entrega que tem ao clube e pela sua dedicaçao, ver a forma como festeja os golos é algo vibrante, e do carminé (GOLAÇO) que é um excelente jogador, aquele pe esquerdo faz estragos.

    Em relaçao aos insultos vindos pr parte do cruz, nem vale a pena falar, porque parece que só levaram 7. Dentro do campo é que se vêm as coisas como elas sao.

    Penso que os nossos jogadores nao foram agredidos no final do jogo, pelo que vi nao passou de uns empurroes, nada de muito grave, mas de lamentar.

    É uma HONRA E UM ORGULHO SER SALGUEIRISTA.

    Nunca mais é domingo... :D

    Força SALGUEIROS


  9. Paulo_74 Says:

    O IPML se o treianador do teu clube (pedroso) nao tivesse no segundo golo virado para traz e com as maos virado para os adeptos do Salgueiros fize-se o sinal que nos estava a torcer talvez nada se passa-se,mas sabes que quem nao se sente nao é filho de boa gente..


Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.


  • PRóXIMO JOGO

    SCS08 x NOGUEIRENSE
    SAB., 15 FEV. 15:00
    EST. PADROENSE



    COMENTÁRIOS

    ETIQUETAS