S.C.S. 08 - 8 x A.D. VILA CHÃ - 0 -11.ª Jornada
II Divisão Distrital da Associação de Futebol do Porto
15:00h, 6 de Dezembro de 2008
Complexo Desportivo Senhora da Hora


GR - 12 - Miguel
DD - 2 - Passos
DC - 3 - Eládio (Capitão)
DC - 4 - Figueiredo
DE - 5 - Rochinha
MC - 6 - Monteiro
MD - 7 - Carvalho
MC - 8 - Rúben
AC - 9 - Heitor
MC - 10 - Rui Lima
ME - 11 - Carminé

Treinador: Pedro Reis

Subs:
53' 18 - Telmo por 6 - Monteiro
67' 17 - Fernando Almeida por 9 - Heitor
77' 16 - Nandinho por 3 - Eládio

Golos:
41' Rúben
45'+1 Rúben
47' Carminé
61' Carvalho
63' Carminé
72' Carvalho
78' Fernando Almeida
90'+2 Fernando Almeida

Suplentes não utilizados: Igor, Miguel Pereira, Cao, Pedro Teixeira

O Salgueiros entrou em campo sob os olhares da menor assistência da época, seguramente devido ao péssimo tempo deste fim-de-semana. A equipa vinha da ressaca da 3.ª derrota da época e enfrentava o Vila Chã, classificado perto do meio da tabela.
Não foi ainda desta que alinhou uma equipa inicial ‘repetida’. Figueiredo, que até hoje só contava com 20 minutos de jogo, estreou-se na titularidade , a substituir o ausente Renato. O meio campo foi composto por Monteiro na posição mais recuada, Rui Lima na intermédia, e Rúben de regresso à titularidade na posição 10. Na alas o habitual Carvalho e o regressado Carminé e na frente Heitor.
O jogo iniciou muito frio, com muito futebol a meio campo. O Salgueiros foi ganhando ascendente que só começou a ter alguns resultados entre os 15 e os 25 minutos de jogo, com uma sucessão de cantos e livres laterais. Num desses cantos Heitor esteve muito perto de marcar e noutro os salgueiristas reclamaram uma grande penalidade.
Ao contrário do que tem sido habitual não houve concretização nas bolas paradas e a equipa a partir dos 25 minutos perdia um pouco de fulgor. Era sempre fácil chegar ao terceiro terço do campo, muitas vezes com espaço e até superioridade numérica, mas ia faltando um último passe ou uma última tabela. Nesse período o número de passes falhados no meio campo foi crescendo, até porque o Vila Chã conseguia uma defesa posicional minimamente organizada. Mesmo quando se ganhava espaço nos flancos nunca saia um cruzamento aceitável.
Quando já se antecipava o intervalo, Rúben conseguiu ganhar espaço e surgir descaído pela esquerda em posição de remate. Atirou forte, com a bola a bater na barra e no solo saindo a seguir, com o fiscal de linha a validar o golo.
Já em descontos, Monteiro cria o que tinha estado a faltar: uma situação de desequilíbrio posicional a descompensar a organização defensiva do Vila Chã. Surgindo na frente no flanco direito, já dentro da área chega à linha e entrega atrasado a Rúben, que remata de primeira para o 2-0.
Se já se suspeitava que o jogo estaria quase ganho para o Salgueiros, Carminé tirou as dúvidas a quem as tinha logo aos 2’ da segunda parte. Descaído na direita bem fora da área, aproveita a desmarcação de Passos no flanco que abriu a defesa, e quando se esperava o passe para o lateral direito rematou directo de muito longe, para o 3-0, com a bola a entrar junto ao poste. 
A partir daqui a história do jogo resumiu-se ao progressivo desnorte e fatiga da equipa visitante e dos golos marcados (e ainda alguns falhados) para o Salgueiros 08.
O 4.º golo foi de Carvalho, que respondeu a passe de Heitor para as costas da defesa, e depois de contornar o guarda-redes marcou o seu primeiro golo da época, empurrando para a baliza deserta.
5.º golo muito semelhante, com assistência de Carvalho com Carminé isolado a colocar em jeito.
Já com Fernando Almeida em campo os buracos na defesa adversária iam avolumando-se. Aos 68’ ficou uma jogada linda por concretizar, com Carminé a cruzar da direita e primeiro Fernando Almeida e depois Rúben a simularem e deixarem a bola passar, para Carvalho aparecer ao segundo poste e rematar de primeira de pé esquerdo. Saiu forte mas ao lado.
O 6-0 surge com um passe de Fernando Almeida para isolar Carvalho descaído na esquerda, que com o guarda-redes a meio caminho da saída, colocou por cima ao poste mais distante, num golo de belíssimo efeito.
Com o jogo totalmente decidido, tempo de rodar o plantel, e aos 77’ estreou-se o defesa central Nandinho, após lesão prolongada que o manteve afastado dos treinos no início da época.
Aos 78’ numa jogada de 3 para 2 Passos entrega bem a Rúben que já dentro da área espera o último defesa e entrega a Fernando Almeida para o golo fácil na cara do guarda-redes. Já depois dos 90 desta vez Carminé a assistir Fernando Almeida para golo de ‘encostar’.
No final uma vitória demasiado fácil que não se adivinhava na primeira parte, apesar de já ai como em todo o jogo o Vila Chã se tenha demonstrado totalmente inofensivo, terminando o jogo sem um único remate ou situação de algum perigo.
No balanço do jogo, alguns destaques:
- Excelente estreia a titular de Figueiredo, que não tendo as características de Renato com a bola nos pés, esteve seguríssimo a defender com os pés ou com a cabeça, sempre muito atento nas antecipações, e sempre sem complicar e a ‘limpar’ sem contemplações;
- O desenho do meio campo foi bastante mais equilibrado que em jornadas anteriores, com Monteiro a destacar-se na posição 6, onde com menos densidade de jogadores consegue uma abrangência espacial admirável e se torna decisivo no futebol aéreo. O regresso de Rúben à zona central, na posição 10, traz à equipa outras soluções e dá um carácter menos homogéneo ao meio campo, quer pela sua capacidade de tabelar em terrenos avançados quer pelos passes de ruptura. Este duo é muito bem complementado por Rui Lima na posição 8 deste triângulo, que consegue dar o equilíbrio entre a tendência mais defensiva de Monteiro com a ofensiva de Rúben, e esteve hoje especialmente lutador, não se poupando a esforços, mesmo já com o jogo totalmente decidido;
- Até pela forma como festejou Carvalho demonstrou que andava a cheirar o golo e conseguiu neste jogo 2 óptimos golos e um jogo muito conseguido;
- Por último, 8 golos é sempre um tónico importante e de salientar, especialmente quando foram todos de bola corrida, para uma equipa que tem estado algo dependente dos lances de bola parada.
Agora há que preparar a deslocação para o jogo com o Vilar que antecederá uma folga e a recepção ao Pedroso, ainda 1.º classificado. Que a vitória de hoje sirva de tónico para a equipa já para a semana oferecer uma prenda de Natal a todos os seus adeptos.
8 Respostas
  1. IRRIDUCIBILI Says:

    Excelente vitória do salgueiros perante uma equipa da qual esperava muito mais..
    Também para dizer que a seguir q folga, iremos defrontar o pedroso e nao o progresso.


  2. Flash Says:

    Seja quem for, se o campo o permitir e não for um lameiro nós seremos sempre superiores!

    Força Salgueiros


  3. SCSsempre Says:

    esta ai um erro e pedroso e nao progreso.


  4. RC Says:

    Em casa não tenho medo. Fora é que temos que cerrar os dentes e jogar com grande garra e espírito de sacrifício nos campos "impraticáveis". Aí é que se vai decidir o campeonato e aí é que devemos ser fortes e combativos, porque nos campos relvados as nossas superiores capacidades técnica e táctica resolvem os jogos.

    VAMOS SALGUEIROOOOOOS!


  5. IRRIDUCIBILI Says:

    Um empate entre o pedroso e rio tinto beeficia o salgueoiros..que agora esta a um ponto do 1 lugar...tenho quase a certeza que antes no novo ano estaremos em 1..


  6. Suevo Says:

    Atenção que o Vilar do Pinheiro tem menos um ponto que nós, mas tambem tem menos um jogo, e está à frente do Rio Tinto, se ganhar o jogo que tem a menos, o Vilar do Pinheiro ficará isolado no primeiro lugar.

    O Vilar do Pinheiro mostrou contra nós ter uma boa defesa, ganhou-nos em terreno seco, e foi ganhar ao pedroso, por isso há que ter atenção a essa equipa.


  7. SCSsempre Says:

    O resultado do jogo pedroso x rio tinto algem sabe??



Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.


  • PRóXIMO JOGO

    SCS08 x NOGUEIRENSE
    SAB., 15 FEV. 15:00
    EST. PADROENSE



    COMENTÁRIOS

    ETIQUETAS