S.C.S. 08 - 2 x GULPILHARES F.C. : 0 - 31.ª Jornada

GR - 24 - Freitas
DD - 2 - Passos
DC - 3 - Figueiredo
DC - 4 - Monteiro
DE - 5 - Moreira
MC - 6 - Fábio
MC - 7 - Gonçalo
MD - 8 - Artur
AC - 9 - Heitor
AC - 10 - Quim Simões
ME - 11 - Carminé

Treinador: Pedro Reis

Golos:
44' autogolo
59' Quim Simões

Subs:
45' 15 - Rúben por 8 - Artur
66' 17 - Pedrinho por 11 - Carminé
84' 18 - Diogo por 9 - Heitor

Suplentes não utilizados: Rui Alves, Eládio, Fernando Almeida, Nicola

Tarde de Sol para um jogo entre 2.º e 5.º, que nem por isso foi suficiente para ter bancadas bem compostas de público.
A jornada trouxe ao modelo 4-4-2 algumas novidades. Figueiredo tomou o lugar de Neto no centro da defesa, e nas alas surgiram Artur e Carminé, nos lugares de Nicola e Rúben.

A primeira parte merece um resumo curto, porque não teve grandes incidências. O jogo não foi bem jogado com o Gulpilhares muito organizado a defender e quase a prescindir de ter posse de bola, tentando sempre jogar em contra-ataque, nunca com sucesso. No entanto, a defender organizava-se bem e conseguia fazer bons momentos de pressão na zona da bola, no período de organização ofensiva do Salgueiros. Isto trazia um problema que já se tem manifestado em jogos recentes anteriores: dificuldade em sair na zona de pressão e perdas de bola em zona intermédia do campo, muitas vezes por falta de linhas de passe com os jogadores do Gulpilhares a conseguirem superioridade numérica em espaços curtos.
A alternativa era o jogo directo, muitas vezes tentado por Monteiro, ou passes longos de ruptura de Fábio, alternativa essa que falhou consecutivamente. Nas alas Carminé e Artur raramente conseguiam desequilíbrios individuais e quando o conseguiram os cruzamentos saíram sem sucesso.
Com o Gulpilhares inofensivo a atacar, este conjunto de circunstâncias tornavam o jogo muito 'encaixado' e desinteressante.
Só aos 39' Artur rematou desde o flanco esquerdo de forma cruzada com algum perigo.
Aos 43' a melhor oportunidade para o Sagueiros surge num lance de insistência em que a bola sobrevoa a área do Gulpilhares , Heitor ganha posição em frente ao guarda-redes, toca para Quim Simões, que apertado por um defesa na quina da pequena área encheu o pé mas a bola saiu por cima.
Em cima do intervalo, chegou o auto-golo que punha o Salgueiros em vantagem: uma tentativa de alívio de um defesa saiu uma 'rosca' e levou a bola muito por alto em direcção ao guarda-redes, que com medo de ser considerado atraso tentou aliviar a pontapé, falhando o contacto com a bola prejudicado pelo Sol de frente, acabando esta por bater no relvado e ganhar efeito em direcção à baliza. Um golo estranho e que deixava o Salgueiros em vantagem na primeira parte, de forma algo imerecida, dado que apesar de dominar o jogo tinha criado poucas ocasiões.
O Gulpilhares pode queixar-se neste lance de ter um jogador no relvado lesionado ao qual o árbitro não permitiu assistência, mas era a este que cabia interromper o jogo e não aos jogadores do Salgueiros, visto que já com ele no chão ainda houve um ataque do Gulpilhares e o jogo esteve interrompido para o pontapé de baliza que se seguiu e deu origem finalmente ao auto.golo.
Após o golo concretizou-se a substituição que já estava alinhada antes deste, com a entrada de Rúben para o lugar de Artur.

Sem surpresas o Salgueiros regressou melhor para a segunda parte, com melhor troca de bola no centro de terreno, e finalmente a conseguir colocar alguns passes certeiros nas costas da defesa contrárias, que regressou do intervalo bastante mais subida no terreno. Apesar disso faltava ainda o acerto no último passe ou cruzamento, que permitisse uma situação de finalização.
Aos 54' após desatenção defensiva é mesmo o Gulpilhares que consegue ter a bola dentro da área salgueirista, e só uma grande recuperação e corte temerário de Gonçalo evitam males piores, saindo o n.º 7 salgueirista magoado do lance.
Aos 59' finalmente o último passe saiu e foi dos pés de Heitor, com a defesa do Gulpilhares a tentar o fora de jogo demasiado perto do meio campo, e a ser batida pela qualidade do passe e rapidez de Quim Simões. Este apesar de agarrado inicialmente não se deixa cair, avança com a bola e com o guarda-redes já fora da pequena área, coloca-lhe a bola por cima. Um golo que premeia Heitor, arredado dos golos há algum tempo, com mais uma assistência que se estão a tornar num bom hábito, e Quim Simões com mais um golo de belo efeito para o álbum de recordações, com o jovem de Matosinhos cada vez mais próximo da forma fulgurante com que iniciou o campeonato.
Era o melhor período do Salgueiros e logo no minuto seguinte Quim Simões colocou nas costas do último defesa para a corrida de Caminé que em velocidade chega primeiro à bola, e em cima da linha da área tenta colocar em jeito (talvez chapéu?), mas a bola saiu com força por cima.
A grande oportunidade do Gulpilhares surge aos 67', com um bom contra ataque conduzido pelo flanco esquerdo, que apanha a equipa do Salgueiros muito fora de posição, com toda a equipa a descair para o flanco da bola. O Gulpilhares tira bem a bola do flanco e surge no centro numa situação de 3x1, em que o defesa do Salgueiros era Heitor (!!!). O jogador que recebe no centro opta por rematar de primeira, mas a bola saiu ao lado, quando tinha espaço e tempo para fazer muito melhor.
Com as substituições no Gulpilhares os visitantes cada vez arriscavam mais posicionalmente e mais espaço havia para o Salgueiros atacar. Aos 73' a situação piorou com uma lesão que os deixou a jogar com 10 jogadores o resto do jogo.
Aos 77' um bom cruzamento de Passos permitiu a Rúben cabecear em grande posição, mas ao lado.
Aos 80' Freitas fez a única (e boa) defesa digna desse nome após cabeçada na pequena área com perigo.
Aos 81' um bom passe isola Rúben que avança em velocidade e remate forte, para a melhor defesa da tarde para o guardião do Gulpilhares.
Era um momento de sucessão de ataques do Salgueiros, que só por alguma precipitação não deram mais golos, como numa grande jogada de Pedrinho na direita em que o cruzamento saiu largo demais, ou num cruzamento de Heitor da esquerda para Quim que atrapalhado por um defesa, falhou o domínio de peito quando provavelmente podia ter cabeceado.
Aos 84' entrou Diogo para o lugar de Heitor, e logo furou novamente a defesa em linha do Gulpilhares isolando Passos, que acabou por optar por rematar de pé esquerdo na passada, mas ao lado.
Logo a seguir, para terminar as situações no jogo, Monteiro rematou quase do meio campo aproveitando o adiantamento do guarda-redes, com este a falhar a defesa e o golo a só não acontecer por a bola sair a rasar o poste.

No final a vitória ajusta-se perfeitamente e na última meia hora o Salgueiros teve mais do que oportunidades para merecer vencer o jogo folgadamente. O Gulpilhares deu boa réplica enquanto se manteve mais preocupado em defender, abrindo muitas brechas quando tentou ir atrás do resultado.
No entanto, como também vem sendo hábito, enquanto o adversário se manteve em postura mais fechada a equipa sentiu muitas dificuldades em ter fluidez de jogo, optando vezes em demasia por jogo directo, que teve praticamente sucesso nulo, com muita imprecisão nos passes. É também notório o mau momento anímico que alguns jogadores atravessam, com muita falta de confiança que os impede de renderem aquilo que já renderam este época. A falta de consistência da equipa, principalmente quando ainda está a jogar em ataque posicional, naturalmente dificulta a entrada de qualquer elemento no 11 e fica difícil que o individual sobressaia quando o colectivo está com problemas.
Por outro lado é notório o poderio da equipa quando os adversários já estão algo desgastados e o Salgueiros opta por jogar com transições ofensivas muito rápidas. É neste estilo de jogo de maior frenesim e de algum risco adicional na defesa que a equipa tem feito segundas partes com outra velocidade e determinação, criando múltiplas oportunidades de golo.

Ficam a faltar 3 jogos e o desafio será não perder a concentração e assegurar matematicamente o 2.º lugar o mais rapidamente possível.
8 Respostas
  1. André Says:

    Boa vitória! a subida cada vez mais próxima, e um grupo d jovens espectaculares com muita qualidade e valor!
    rik_alma salgueitista foi contigo q conversei antes d saires na paragem para ires po trabalho? a equipa q t referias da povoa q nao nos lembravamos e q o carmine marcou era o balasar n era? eu so m lembrei depois! um abc


  2. exactamente essa msm um abraco


  3. Salgueirista Says:

    Parabens GRANDE SALGUEIROS:
    Estamos perto da subida.
    Esta equipa que jogou hoje , havia de ter jogado a maior parte do campeonato.
    Parabens a todos os jogadores , pois mostraram uma grande raça e vontade de vencer.
    Parabens tambem ao gulpilhares,pois foi uma equipa que deu luta ate ao apito final.

    VIVA O SALGUEIROS:
    Helder


  4. André T. Says:
    Este comentário foi removido pelo autor.

  5. André T. Says:

    eu so m lembrei depois, fui a teimar ate ao fim da linha, mas lembrei-me! sou aquele jovem q estava encostado a porta pela qual tu saiste! moreno,q tava d oculos d sol ;) espero q o teu colega n s tenha importado com aquele atraso d hora! mas o amor ao salgueiros justifica tudo n é! um abc ;) Salgueiros Spre! ;) boa pascoa! e pra toda a comunidade Salgueirista tmb ;)


  6. Acabando SCS8 em 2º lugar e permitindo este o acesso à Divisão de Honra, vou deixar aqui umas quantas perguntas de retórica, que não carecem de resposta, e serão motivo de reflexão:

    1. Quanto custou cada ponto ao SCS08?
    (decerto uma diferença abismal em relação ao Custóias);

    2. Neste momento e tendo em linha de conta os
    custos do plantel, a viabilidade do SCS08
    está em perigo?

    3. O crescimento sustentado tem sido cumprido?

    4. Tem havido parcimónia na gestão dos
    clubes ou embarcamos em megalomanias de marcha
    atrás?

    5. Subindo de divisão mesmo em 2º. lugar não é
    um motivo de alegria e de grande satisfação e
    para festejar?

    6. Quantos problemas foram colocados à
    direcção, aos técnicos e aos atletas, sem que
    tivessemos conhecimento, e devidamente
    ultrapassados?

    6. O Salgueiros é ou não um clube popular,
    que sabe ganhar e perder, a aceitar,
    com nobreza e humildade, um 2º lugar?

    7. O que resta do SCS de há 20/30 anos?

    8. Temos ou não consciência do que é hoje o
    SALGUEIROS?

    9. Fomos ou não victimas de muitas viscissitudes
    de todo o tipo e que à partida o campeonato teria um vencedor antecipado ( aquele ainda não acabou!)?

    10. A massa associativa do SALGUEIROS, com todos
    os seus defeitos, é ou não uma força da
    natureza, uma coisa ( ALMA) fora do comum?
    O Salgueiros tem ou não tem uma massa associativa fora do comum, quem se pode comparar a NÓS?

    Adivinho as respostas mas deixarei para o final do campeonato as minhas considerações finais. Uma certeza tenho, toda a gente vestiu a camisola do SALGUEIROS, por vezes do acesso, e é isso que me importa!

    SALGUEIROS ATÉ À VITORIA FINAL!

    SALGUEIROS AMO-TE!

    Artur Gonçalves
    176/4677


  7. Eliana Says:

    Boa entrada do Diogo. Em apenas 5 minutos, duas assistências, numa delas a esperar uma fracção de segundo para que o Quim deixasse de estar fora-de-jogo.Excelente vsão de jogo.

    Que seja só o início...

    Carlos Fernandes 257/2296


  8. frumifrumi Says:

    Realmente estes comentários....
    São mesmo enganadores...
    O Diogo realmente é bom jogador e ja mostrou o qt vale esta época. Se comparar-mos as estatisticas consegue-se perceber q está aqui um diamante por lapidar.
    Eu acho até que o Salgueiros é pequeno demais para ele.
    Tenham Juizo por favor!
    O salgueiros é feito por uma equipa e nao de um ou outro jogador. Excelente visão de jogo, isto é demais. Até parece um local para promover jogadores... Diogo continua a trabalhar para chegares longe e nao vás em cantigas...
    Agora para se ser um grd jogador tem q se ter BOA VISAO de jogo. Nem interessa se sabe jogar, desde q tenha boa VISAO.


Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.


  • PRóXIMO JOGO

    SCS08 x NOGUEIRENSE
    SAB., 15 FEV. 15:00
    EST. PADROENSE



    COMENTÁRIOS

    ETIQUETAS