A.A.S. PEDRO RATES - 1 x S.C.S. 08 - 0 : 23.ª Jornada

GR - 24 - Freitas
DD - 2 - Passos
DC - 3 - Barbosa
DC - 4 - Monteiro (Capitão)
DE - 5 - Moreira
MC - 6 - Fábio
MC - 7 - Gonçalo
MD - 8 - Nicola
MC - 9 - Pedrinho
AC - 10 - Quim Simões
ME - 11 - Carminé

Treinador: Pedro Reis

Subs:
39' 18 - Heitor por 7 - Gonçalo
74' 15 - Bessa por 11 - Carminé
77' 16 - F. Almeida por 9 - Pedrinho

Suplentes não utilizados: Rui Alves, César, Neto, Diogo
19.º jogador da convocatória: Artur

O frio da Póvoa de Varzim acolheu bastantes salgueiristas, que parecia que não paravam de entrar já com o jogo em andamento, até compor bem o topo Norte do Estádio do Varzim.
Foi com esperanças que acolherem o mesmo onze titular pelo 5.º jogo consecutivo, que tentaria frente a um adversário mal classificado segurar o 1.º lugar.

O Salgueiros iniciou o jogo com mais posse de bola, mas bastante lento no seu jogo, com a bola invariavelmente a ficar nos pés dos centrais tempo a mais, com poucas movimentações à sua frente. Muitos passes lateralizados e nenhuma capacidade de penetração.
Ao fim de 10’ de muita posse de bola sem resultados, a realidade é que o S. Pedro de Rates conseguiu sem grande fio de jogo começar a acumular uma sucessão estranha de lances de bola parada, nomeadamente 3 cantos quase consecutivos. Foi num desses, e após já ter criado muito perigo num canto anterior, que com um desvio ao primeiro poste a equipa da casa se colocou em vantagem e quebrou a série de 5 jogos sem sofrer golos de Freitas e do Salgueiros 08.
A tentativa de reacção imediata do Salgueiros acabou por ser travada por uma sucessão de faltas que valeram 3 amarelos quase seguidos ao Rates. No entanto, tornou-se notório que o Salgueiros acusava mentalmente o golo e faltava fluidez e movimento à equipa, que apesar de tentar acelerar o jogo não o conseguia. Mérito nesta altura também do Rates que povoava bem o seu meio campo, e por muitas vezes conseguia defender em situação de 2 contra 1. E assim chegou o jogo até aos 27’ sem um único remate para o Salgueiros.
Finalmente aos 27’, a passe de Quim Simões, Pedrinho dominou bem dentro da área e rematou contra um defesa, e na sequência do lance Carminé rematou de longe mas muito ao lado. Só 3’ depois após jogada algo confusa Passos fez o primeiro remate do Salgueiros à baliza, apesar de com poucas possibilidades de sucesso dado o ângulo reduzido, mas pelo menos obrigando à primeira defesa da tarde do guarda-redes do S. Pedro de Rates, cedendo um canto.
A única boa jogada do Salgueiros na 1.ª parte foi aos 38’, com Pedrinho e Carminé numa boa troca de bola, isolando Passos no flanco direito que cruzou um pouco adiantado, quando Quim Simões estava muito bem posicionado na área.
Antes do intervalo Pedro Reis colocou Heitor na frente prescindindo de Gonçalo e o máximo que conseguiu foi mais um remate à baliza de Quim Simões após dominar de peito, que o guarda-redes desviou para canto.

A demonstração clara que faltou velocidade e agressividade na abordagem ao jogo, chegou na segunda parte. O Salgueiros arregaçou as mangas e fez por entender que para ganhar ao 14.º é mesmo preciso correr bastante, pressionar, trocar a bola com rapidez e esperar que o talento no final resolva as oportunidades que acabam por surgir.
Logo aos 46’ cruzamento perfeito de Carminé da esquerda para Heitor que num cabeceamento à peixe perfeito atirou ao ângulo inferior, mas o guarda-redes encaixou bem.
Era o mote para a segunda parte que se resumiu a ataques consecutivos do Salgueiros e muitas oportunidades falhadas.
Aos 47’ Carminé tabelou com Quim Simões e rematou fortíssimo a rasar o poste, em jogada em que se gritou golo no topo Norte.
Aos 51’ Quim Simões voou para dar resposta de cabeça a um excelente cruzamento tenso de Nicola, mas falhou a bola por muito pouco, com a jogada de qualquer forma a ser anulada por fora de jogo.
Aos 56’ um enorme remate de Carminé permitiu talvez a melhor defesa da tarde ao guarda-redes do Rates.
Aos 67’ Pedrinho isolou Nicola que não conseguiu evitar a boa mancha do guarda-redes adversário, talvez por a recepção ter sido algo adiantada em demasia.
Aos 78’ após grande trabalho de Nicola este cruzou para Quim Simões que falhou o desvio na pequena área por milímetros, seguindo-se um corte de barriga do defesa que por milagre não provocou auto-golo.
Aos 85’ após bom trabalho de Bessa, Fernando Almeida cruzou bem e Quim falhou o desvio de cabeça ao primeiro poste, acabando por colocar a um pouco à queima para Heitor no 2.º poste, que cabeceou por cima.
Aos 91’ Quim assistiu Bessa que entrou na área em velocidade, ultrapassou um defesa e rematou por cima de grande posição.
Aos 93’ Monteiro após canto passou para Fábio que perto da marca de penalti rematou muito por cima.
Aos 95’ foi Barbosa que tentou um último remate acrobático que saiu muito por cima.
A segunda parte foi isto mesmo que retrata as linhas acima: S. Pedro de Rates a defender como podia, abdicando totalmente de atacar, com o Salgueiros a atacar muito e de muitas formas, nem sempre da melhor forma e com muita desinspiração individual, quer na criação de desequilíbrios quer na finalização.

Tal como em Guilhabreu, os primeiros 45’ dados de avanço ao adversário pagaram-se caro, sendo que a segunda parte gerou situações suficientes para pelo menos empatar, o que garantiria a manutenção do 1.º lugar. Mesmo que tal acontecesse, a tarde foi claramente negativa em termos exibicionais quer colectivamente quer individualmente, com alguns jogadores a denotarem claro momento de baixa de forma.
Felizmente o Salgueiros terá que esperar pouco para ter duas oportunidades para mostrar que a segunda derrota da época não passou de um acidente de percurso, que no próximo Sábado e Terça-Feira será corrigido com duas vitórias.
Que os adeptos saibam marcar presença e apoiar após este desaire é o que se espera e que se exige, a quem no final queira partilhar os louros das conquistas da equipa.
11 Respostas
  1. Eliana Says:

    Boas:

    -Admito que o vento contra tenha prejudicado a qualidade de passe na primeira parte, mas parecia que a equipa estava transidade de frio.

    - Com tão poucas opções no ataque, não percebo por que abdicamos do Rúben, que, ainda há uma semana deu conta do recado. A sua entrada permite a variar o estilo de jogo diferenteO estilo toca-e-foge, recebe-e-dá, traz alegria, dinâmica e progressão.

    - Às vezes não entendo como se chuta tão mal à baliza (e não é de hoje). Pedrinho, Nicola, Fábio, o César...
    Depois de uma sucessão de fintas em progressão, o remate nunca é opção; quando a bola vem rápida mas a jeito, sai por cima; mesmo quando há tempo para preparar, o pontapé sai fraco.
    Só o Carminé e o GOnçalo o têm feito com qualidade.
    Estará fora de moda, não será pedagógico, nem constará das cartilhas modernas, mas que dá vontade de pôr toda a gente um treino inteiro a atirar à baliza, dá...

    Carlos Fernandes 2296/257


  2. Eliana Says:

    PS:

    Sábado é em Leça do Balio

    Carlos Fernandes 2296/257


  3. JJOO Says:

    Não é com resultados e exibições, como em Guilhabreu e SP Rates que se mobilizam as pessoas a acompanhar e a apoiar a equipa. Bem pelo contário...


  4. lfg Says:

    A César o que é de César.
    Compreendo bem a necessidade quase bíblica de desancar em tudo o que mexe sempre que o Salgueiros não ganha.... aparentemente já faz parte da cultura dos adeptos do 08....
    Já me cansei de questionar essa postura...

    Mas pelo menos vamos poupar os jogadores que nem entraram em campo. O César que já foi referido em 2 ou 3 comentários não saiu do banco de suplentes.
    Está provavelmente a ser confundido com o Bessa, que por sinal para os minutos que tem no campeonato, teve uma prestação bastante positiva nos poucos minutos que esteve em campo.

    Saudações
    Luís Gomes


  5. RF3 Says:

    Realmente desvalorizar um jogador que tem qualidade, que não tem minutos e que foi lançado aos "leões" numa altura complicada,que a equipa esta a perder,eu gostei do jogador,fica mais uma vez a estranheza de não ter opçao em outros jogos ( se aquele remate entra.se era o heroi do momento), e já que falam em césar,já merecia um jogo também,já que não e nada mau jogador!


  6. fcs_13 Says:

    Realmente desvalorizan-se jogadores que estão no banco, que raramente jogam, e que têm tanta ou mais qualidade que que aqueles que são titulares por sistema.

    No entanto os adeptos já compreenderam e cada vez compreendem melhor que o onze titular já está feito desde o inicio da època e não á volta a dar. São sempre os mesmos e ponto final parágrafo.

    Sauidações Salgueiristas


  7. Boa noite

    Já que se está a falar de jogadores e não é para dizer mal,existem 2 que no inicio da época eu pensava que teriam muitas hipoteses de ser titulares e são precisamente o César e o Bessa, deverá haver razões que não quero questionar porque não assisto aos treinos e para além dos jogos é nos treinos que se conquista a titularidade.

    Cumprimentos Francisco Leite


  8. Adriano Says:

    Boa noite

    O plantel tem 5 centrais, dos 3 que não jogam não há um que posso fazer o lugar do Monteiro? Porque para mim o sector mais fraco é o trinco à qual o Monteiro provou na época passada ser um grande jogador nessa posição, considerado até como um dos melhores do plantel. Custa muito ver sofrer um golo daquela maneira, sucessivos cantos marcados da mesma maneira e tão previsíveis e custa ver a passividade do trinco (o elemento mais alto da equipa) que em todos os cantos não se preocupa em marcar ninguém e deixa-os passar pela sua zona de acção (que ainda não percebi bem qual é) como se nada fosse, isto é uma constante. Espero que isto melhore, poucos foram os jogos onde saio satisfeito com a exibição.

    Saudações Salgueiristas

    Adriano


  9. Eliana Says:

    Boa Noite

    Caro Adriano, apesar de concordar que ontem esteve mal, acho que o Fábio tem sido dos nossos melhores jogadores, importante a recuperar bolas, e a passá-las com classe
    (há até uma filmagem de um golo num jogo na Sra da Hora, em que se ouve alguém a dizer que "este é que está um senhor")
    Sem querer arranjar desculpas para tudo, acredito que ontem, o "factor vento" tenha atrapalhado os passes em profundidade

    Carlos Fernandes 2296/257


  10. Caro Adriano Concordo plenamente consigo acho que já era altura de tentar novamente o Monteiro no meio campo não querendo desvalorizar o Fabio mas na minha opinião o Monteiro dá muito mais consistência ao meio campo. Tambem deve ser dificil para o pedro pk o Monteiro tá a representar o papel dele a central na maior perfeição e na maior das classes.
    Salgueiros sempre


  11. fcs_13 Says:

    Caro Francisco leite
    O meu amigo disse, e disse-o muito bem.

    De facto, é nos treinos que se conquista a titularidade. Mas no caso concreto não é isso que acontece.

    Porque se se avaliassem os jogadores pelo seu valor real e pelo que fazem nos treinos, então jogadores haveria que nunca seriam convocados ou então ficariam no banco. Mas infelizmente isso não acontece.

    E quer queiramos quer não o plano para as convocatórias está traçado desde o inicio da època e duvido muito que haja alterações substantivas a esse nivel, infelizmente.

    Os jogadores a que se refere, para alem de outros, são de óptima qualidade, só que não lhes dão minutos de jogo. E isso é que eles precisam. Jogar para demonstrarem o que aqui se diz.

    Pois que eles não precisam de provar nada, porque já o provaram em anos anteriores e provam-no no dia a dia dos seus treinos.

    No entanto, volto a repetir.
    A meu ver,as hipóteses deles esta época são poucas,considerndo que, por imperativo de leixonização do nosso clube dificilmente as coisas se modificarão.


Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.


  • PRóXIMO JOGO

    SCS08 x NOGUEIRENSE
    SAB., 15 FEV. 15:00
    EST. PADROENSE



    COMENTÁRIOS

    ETIQUETAS