Período de reflexão sobre o Salgueiros
A cerca de semana e meia do blog entrar de férias (bem prolongadas), estará na hora de lançar talvez o post mais importante do ano.
Até pelos comentários colocados ontem e pelo aproximar duma Assembleia Geral Ordinária do S.C. Salgueiros 08 (25/06/10) seria bom ouvir o maior número de sócios e adeptos do Salgueiros sobre o que pretendem para o seu futuro, quais as reais expectativas que têm, bem como eventuais questões.

Se o número de comentários for grande e de conteúdo minimamente aprofundado, será certamente um instrumento útil para a Direcção preparar a AG sabendo o que mais preocupa e quais as reais expectativas e perguntas do universo de apoiantes do Salgueiros.

Os temas para a reflexão de cada um serão livres mas ficam algumas sugestões:
- Ecletismo ou não? Deverá o Salgueiros continuar a aumentar o número de modalidades e escalões?
- A base de sócios actual é suficiente? Será mesmo possível aumentá-la?
- Como aumentar em geral as receitas do(s) clube(s)?
- Será mesmo possível imaginar a breve prazo a fusão dos dois clubes?
- Será que é viável fazer crescer outro tipo de receitas? Patrocínios? Merchandising?
- Será realista pensar a breve prazo na existência de instalações desportivas próprias? Como?
- Com uma estrutura directiva com reduzido número de elementos, é possível o clube crescer?
- Como atrair mais gente para colaborar no clube?
- Em termos de futebol:
- Até que divisão será possível subir?
- Planteis de formação ou altamente competitivos (com maior investimento)?
- Como ter orçamento para ser competitivo, com as receitas existentes?
- Estarão os sócios disponíveis a ter uma equipa com base na formação, estagnando numa dada divisão? Por exemplo a Divisão de Honra Distrital?

e por ai fora... todas as reflexões, questões ou pensamentos serão certamente úteis. Até porque qualquer clube é e será sempre aquilo que seus os sócios quiserem. Sem a participação e a intervenção destes o seu conteúdo será sempre diminuído.
59 Respostas
  1. RF3 Says:

    IFG o teu comentario no outro post tem toda a logica , se a ideia do clube e nao gastar muito e tentar ter algum talento com jogadores "baratos" com estes jogadores mais bem trabalhados a equipa tem algum potencial( se a equipa for esta na proxima epoca a probabilidade de conseguir lutar por lugares de cima e curta)

    Temos uma vantagem em relação a todos os outros o clube e o SALGUEIROS , e logo ai já e montra para muitos atletas,e e vantagem, atrair jogadores para os colocar aqui como montra e uma vantagem, na divisao para que vamos e dificil, mas secalhar tentar fazer um forçing extra para subir na proxima epoca, e na epoca seguinte 3 nacional, porque nao fazer do salgueiros um clube satelite de algum "grande" e recebermos jogadores jovens dos grandes com talento, e logo ai temos vantagem de termos jogadores bons com talento que ficam manifestamente baratos!
    Outro ponto que se a aposta e para ser jogadores desta idade, este treinador não tem claramente capacidade para treinar jogadores assim,1º pareceme que nao consegue entrar na cabeça dos mais jovens que e o mais importante se os conseguir ter " na mao", nao consegue compreendelos, a ma gestao do carmine nos cassos das birras prova isso mesmo, e na ma gestao de lancar jogadores que nunca jogavam em jogos "dificeis".
    Quanto ao ponto dos socios no ano passado tevese uma grande opurtunidade para lancar uma campanha atraente para os socios, quanto a bons jogos e titulos e mais facil de o conseguir, agora nesta época , que foi manifestamente fraca, nem tanto em resultados ( que ao menos subimos) mas na qualidade do jogo que era ma e isso também conta, continuo ate a achar que aqui um treinador com outra estaleca poderia ser util a galvanizar as "tropas". Agora para o conseguir voltar a poder contar com mais socios mais gente a assistir, e preciso futebol e futebol de qualidade e tudo gira a volta disto, a equipa ganha joga bem temos muitos adeptos e consequentemente o numero de socios tambem pode aumentar, jogas mal, tens menos gente , para o ano ou a equipa joga um futebol muito atraente e muda radicalmente (o qe nao me parece que aconteca com este treinador) ou entao logo nos primeiros jogos a pressao sobre ele vai ser muito maior e depois o apoio nao vai ser o mais desejado, e para o ano oapoio dos adeptos nos jogos fora e sem duvida o mais importante e uma divisao muito dificil! A direcçao acho devia decidir muito bem o tipo de aposta que devia ser feita, se para o ano conseguir fazer um esforço extra e subir de divisao (por exemplo porque nao encurtar o plantel , e tentar ter 2 jogadores com mais idade com mais qualidade?)

    POrque tambem nao tentar atrair jovens dinamicos recem saidos da faculdade com vontade de dinamizar o clube?temos o exemplo daquela equipa penso que de iniciados que fez um grande campeonato com 2 jovens treinadores!


  2. lfg Says:

    "se a ideia do clube e nao gastar muito"
    "se para o ano conseguir fazer um esforço extra e subir "

    ai está um comentário bom para abrir a discussão.
    vou destacar estas duas frases e acrescentar:
    - será que o clube se pode dar ao luxo de DECIDIR não gastar muito, ou tem simplesmente que se limitar a gastar só o que tem?
    Porque escolher gastar pouco ou gastar apenas o que se tem (que eu adivinho que seja muito pouco) são coisas bem distintas

    - e como fazer um esforço extra? Com que meios financeiros? As receitas vão crescer como? Ou alguém vai injectar meios financeiros?

    Obrigado pelo comentário
    Luís Gomes


  3. Convém não esquecer que o clube não é só futebol!


  4. lfg Says:

    Caro Alma Salgueirista: somos todos ouvidos para ouvir as tuas opiniões sobre as restantes modalidades:
    - será que devem ter gestão autónoma ou não?
    - será que devem ser auto-sustentadas financeiramente ou não?
    - deverão os seus custos ser suportados em parte pelas quotas dos sócios do scs ou não?
    - devem criar-se mais modalidades e escalões ou não?
    - só devem ser apoiadas as modalidades com público ou não?
    - como atrair mais gente para colaborar no dirigismo das restantes modaliddes?


  5. AS-SUB40 Says:

    Como integrante do UNIVERSO SALGUEIRISTA vou tentar dar a minha humilde opinião acerca de algumas perguntas colocadas pelo Luis Gomes no post:

    - Ecletismo ou não?
    O SALGUEIROS É UM CLUBE ECLETICO E TEM DE CONTINUAR A SER... O BOM EXEMPLO VEM DO POLO AQUATICO, DO ANDEBOL E DO FUTSAL.

    - Deverá o Salgueiros continuar a aumentar o número de modalidades e escalões?
    ACHO QUE DEVE DE CONTINUAR A AUMENTAR O NUMERO DE MODALIDADES DESDE QUE SEJAM AUTO-SUSTENTAVEIS.

    - A base de sócios actual é suficiente? Será mesmo possível aumentá-la?
    CLARO QUE NÃO É SUFICIENTE. O CLUBE VIVE DOS SÓCIOS (OU DEVERIA VIVER).

    - Como aumentar em geral as receitas do(s) clube(s)?
    FAZER UMA REMODELAÇÃO NO MODELO DE QUOTIZAÇÃO POR EXEMPLO PARA ATRAIR E FIXAR OS SÓCIOS.

    - Será mesmo possível imaginar a breve prazo a fusão dos dois clubes?
    TENHO AS MINHAS DUVIDAS, PORQUE NEM O SCS, NEM O SCS'08 SE CONSEGUEM SUSTENTAR AUTONOMAMENTE, PARA JÁ.

    - Será realista pensar a breve prazo na existência de instalações desportivas próprias? Como?
    SE CONSEGUIRMOS SUBIR NA PROXIMA EPOCA AOS NACIONAIS E SE CONSEGUIRMOS "EQUILIBRAR" MAIS UM BOCADO O PASSIVO QUE AINDA TEMOS, PENSO QUE ESTARÁ NA ALTURA DE TENTAR "CHATEAR A QUEM DE DIREITO" NO INTUITO DE CONCRETIZAMOS A EXISTENCIA DE INSTALAÇÕES NOSSAS ATRAVES DE UM CENTRO DE ESTAGIO, POR EXEMPLO.

    - Como atrair mais gente para colaborar no clube?
    CONVENCENDO OS SÓCIOS QUE O PROJECTO TEM PERNAS PARA ANDAR, O QUE ATÉ AGORA AINDA NÃO ACONTECEU POIS OS SOCIOS AINDA CONTINUAM DE PÉ ATRÁS QUANTO A ESTE PROJECTO.

    - Em termos de futebol:
    - Até que divisão será possível subir?
    TALVEZ ATÉ À 2ª DIVISÃO B, SE CALHAR EM 3 ANOS.

    Espero que tenha colaborado.
    Paulo Custódio
    SCS: 2646
    SCS'08: 147


  6. G Says:

    Considero este exercicio de uma extrema importancia para o clube. Aproveitar o momento para uma introspecção. Tendo opinião sobre as várias temáticas adiantadas pelo Luis,em face a disponibilidade que for tendo irei coloca-la de forma fragmentada.

    A questão das modalidades parece-me pertinente, mas seria bom perceber o que decidiriam os socios se nenhuma das modalidades for auto-sustentavel. Era bom as pessoas terem a consciencia que o universo abrange neste momento Futebol Juvenil, futebol feminino, andebol, polo-aquatico, futsal e ainda a organização da volta a paranhos em atletismo...

    Não podemos nem devemos, ter um discurso de que somos ecleticos, de que prestamos um serviço social á cidade e ao país movimentando cerca de 700 jovens, e depois não querer gastar dinheiro com isso! Agora como é obvio deveremos defender projectos equilibrados, que nunca ponham em risco o equilibrio económicodo Clube. Seria interessante de verificar qual o pso de cada modalidade para as contas do clubep ara depois, á postriori e com dados concretos se chegar alguma conclusão.

    Agora, as modalidades a serem abraçadas pelo nome Salgueiros não podem surgir por impulso ou por vontades particulares, senão corremos o risco de nenhum dos projectos ser sustentavel e arrastar consigo o nome do salgueiros e parte dos seus recursos...


  7. pereirarjr Says:

    Obrigado por iniciar e moderar este post.

    De todas as perguntas elencadas, a mais importante é a que tem a ver com a fusão dos dois clubes, pois, no fundo, está na génese de muitos outros problemas também identificados, nomeadamente no que toca ao futebol sénior, pois os restantes departamentos funcionam - pelo que ouço nos programas de rádio - numa lógica autónoma. Basta, aliás, pensar no modo como esses departamentos não só sobreviveram como, aparentemente, cresceram durante as 3 épocas em que não houve futebol sénior.

    Muito pode ser escrito/especulado sobre o que é e o que deve ser, porém, pelo menos a título pessoal, tenho muita dificuldade em comentar sobre um tema sobre o qual sei tão pouco; sobre o qual tão pouco me é dado a saber! Torna-se difícil comentar, do mais macro ao mais 'comezinho', sem acesso nem a contas (que serão divulgadas na sede em breve) nem a discursos e outros comunicados da Direcção, nomeadamente o seu presidente.

    Na verdade, às perguntas enunciadas pelo Luís, coloco estas 2, cuja resposta continuará a condicionar bastante o futuro próximo e distante do clube:
    - em que situação se encontram os terrenos oferecidos pela CM do Porto em inícios dos anos 1990 para o Salgueiros construir o estádio e tudo o mais adjacente (os chamados "terrenos de Arca d'Água") e que foram hipotecados pelos últimos órgãos sociais (a resumidamente chamada "Direcção de JA Linhares")?
    - em que situação se encontra o bingo, sabendo que a licença de exploração termina em 2010?

    É claro que "há vida para além do défice" e o Salgueiros desenvolve e continuará a desenvolver as suas actividades. Contudo, convém lembrar que há cinco anos e meio que nos encontramos em regime de Comissão Administrativa (um regime, por teoria, curto) e que aquelas perguntas pairam e continuarão a pairar.


  8. RF3 Says:

    Se fosse possivel e se o admin do blogue souber. o futsal tem o patrocinio da kia , o apoio penso que sera financeiro, e um apoio que permite suportar boa parte dos custos ou nao? porque nao tentar o futebol 11 um patrocinador similar, visto que tem muito mais projecçao(quer dizer o ano passado teve, devido aos resultados)penso que muito do equilibrio financeiro e de uma aposta maior podia passar por ai a soluçao!

    quanto a pergunta : "será que o clube se pode dar ao luxo de DECIDIR não gastar muito, ou tem simplesmente que se limitar a gastar só o que tem?" eu penso que o clube certamente não gastara o que tem,mas isso nao sei quem o tera de dizer e a direcçao se tem fundo de maneio para poder "investir" em 2 ou 3 jogadores mais fortes e encurtar por exemplo o plantel, penso que nao sera um esforco muito grande visto que tambem nao pensemos que os jogadores mesmo os que ja tem experiencia ganhem muito dinheiro que nao e verdade.
    Nao sei se tambem o salgueiros conseguiu ao longo desta epoca observar jogos ou se tem alguem que o possa fazer da divisao de honra da epoca que acabou agora,para tentar "pescar" alguns jogadores com valor que também os ha e virem para o salgueiros!


  9. lfg Says:

    Eu posso adiantar duas coisas para a discussão:
    - quer a direcção quer o departamento de marketing muito trabalharam e esgotaram (e continuam a esgotar diariamente) todas as hipóteses para recolher patrocínios para o clube;
    - certamente por isso mesmo eles vão acabar por aparecer
    - como os próprios elementos do Dep. Marketing disseram publicamente na rádio, todos os contactos feitos com pessoas PRÓXIMAS ao clube, (também confirmado pela Direcção em A.G.) foram infrutíferos - esta pessoas são historicamente quem apoia os seus clubes... mesmo com pouco retorno... por questões sentimentais. Estes possíveis patrocinadores 'salgueiristas', por desavenças pessoais, por birras passadas ou por outros motivos não querem 'gastar' dinheiro no Salgueiros.

    A nossa visibilidade é mais reduzida do que parece. Alguém que queira de facto investir para ter retorno mediático, vai fazer contas a quanta gente vê publicidade no campo (este ano menos que no ano passado), e vai fazer contas à presença da sua imagem nos média através do clube. É fácil perceber que não existem fotos do Salgueiros onde possa aparecer publicidade nos jornais (possível a partir da III divisão e mais na IIB) e que não tem exposição na televisão suficiente (só no PortoCanal.. possível nos canais principais a sério apenas na I Liga). Não é por caso que todos os clubes que caem na Liga Vitalis têm dificuldade imediatas em termos de receitas.

    Com base nisto, temos que nos por nos sapatos de um empresário, sem qualquer simpatia pelo Salgueiros: é rentável investir no Salgueiros? A partir de que montante é caro e fica mais barato um anúncio no jornal ou um outdoor ou outro meio qualquer?

    Será por isso expectável continuarmos a sonhar com patrocinadores salvadores que sustentem o nosso crescimento e investimento necessário?
    E pensemos que um bom patrocínio poderia cobrir 10% a 15% do orçamento. Isso não tornaria possível um investimento muito maior... apenas um maior desafogo de orçamento.

    Quanto a contas, e antes da próxima A.G., sem nenhum conhecimento adicional que não seja público, recordo-me que na última A.G. foi dada a época de 08/09 do S.C.S. 08 como equilibrada entre custos e proveitos.

    Foi apresentado um orçamento de novo equilibrado (receitas iguais a despesas), com incremento dos valores para um total a rondar 80.000€. Mais custos e mais receita (mais bilheteira, mais sócios e mais patrocínios)
    Houve mais receitas de patrocínios (lembro-me dos patrocínios de alguns jogos).
    Houve mais receitas de merchadising provavelmente (existiram mais produtos disponíveis e um Dep. Marketing a funcionar).
    Terão havido mais receitas fixas com o pequeno aumento do número de sócios.
    Parece-me, estando presente em todos os jogos em casa, que deve ter existido quebra na bilheteira, neste momento de longe a maior receita do SCS08. Não sei se compensada pelo custo maior dos bilhetes.

    Será que acabamos a época equilibrados?

    Se sim e sem novas receitas, o bom senso indicaria que teríamos que ter um orçamento exactamente igual. Mesmo com o nome Salgueiros, conseguimos fazer uma equipa competitiva na Honra com o mesmo orçamento deste ano?


  10. Antes de mais, vou-me apresentar. Chamo-me Ricardo Pereira e sou treinador das equipas de andebol de Iniciados e Juvenis Masculinos, e estou no clube há 4 anos, acompanhando o crescimento da secção, que há 4 anos contava com apenas 1 equipa e cerca de 20 atletas, agora temos 7 equipas e mais de 100 atletas.

    O comentário acima, de apenas uma linha tornou-se uma espécie de desabafo depois de ter escrito um comentário mais longo e ao tentar validá-lo ter ocorrido um erro e perdi o meu comentário que vou agora tentar recriar novamente.

    Em relação ao ecletismo, que será aquele em que mais me enquadro, penso que as modalidades já existentes devem ser mantidas e apoiadas para que com isso consigam ter um crescimento sustentado, no lugar de “desviar” essas verbas para novas modalidades que possam vir a surgir.

    No que diz respeito ao andebol, temos bases bastante sólidas para, com os devidos apoios, que se possa ter um projecto que obtenha sucesso nas mais diversas frentes. Em todos os escalões temos executantes de grande nível técnico que já valeram várias chamadas às selecções regionais bem como às selecções nacionais. Faltam agora os devidos apoios e condições físicas e materiais para desenvolver o trabalho e atingir com isso um nível superior.

    Um passo importante para a afirmação da nossa secção no panorama nacional passa pela criação de uma equipa sénior masculina, onde faltam apenas os tais apoios e condições para que isso possa ser uma realidade, pois tudo o resto, desde possíveis jogadores a equipa técnica mostraram já disponibilidade para ingressar num projecto ambicioso e vencedor.

    Se a gestão pode ser autónoma, penso que sim, aqui e ali com uma decisão superior por parte da direcção do clube. Quanto a ser autónoma, penso que ser completamente autónoma é complicado, mas cada secção gerir as suas receitas com mensalidades a pagar por parte dos atletas e patrocínios próprios de cada secção, e depois complementar isso com as ajudas possíveis por parte do clube. Quanto a modalidades com público, suponho que se esteja a referir a modalidades com entradas a pagar, o que não é o caso do andebol, e tirando o futebol, não estou a par do futsal nem do pólo-aquático. Mas no andebol, e sendo as entradas gratuitas, aproveito para sensibilizar os adeptos do Salgueiros, e não do futebol do Salgueiros, a comparecerem em alguns dos jogos, principalmente das nossas camadas jovens, que lutam todos os jogos por dignificar a camisola que vestem, e aos quais incutimos a responsabilidade de representar esta instituição e de ser Salgueiros.

    Antes de me despedir aproveito para deixar o endereço do nosso blogue para que os salgueiristas possam acompanhar de algum modo as nossas equipas.

    www.scsalgueirosandebol.blogspot.com

    Cumprimentos,
    Ricardo Pereira


  11. Deus Says:

    "Nunca coloques a foice em seara alheia!"

    Isso serve para dizer: temos que viver com o que temos e fazer por rentabilizar ao máximo os activos e valências do Clube.

    No entanto, não podemos "espremê-los" até ao ponto de "não sair mais sumo!".
    Há que gerir de forma pensada e sustentada.
    A verdadeira realidade do Clube não a conheço, mas na Assembleia Geral será uma boa altura para questionar, todas (e outras) questões que tenhamos iniciado aqui e tentarmos ficar com uma ideia mais real e aproximada à nossa realidade.
    Penso que a questão parte de sabermos, primeiramente, quais as nossas "armas" e só depois "partirmos para a guerra" (desculpem a metáfora bélica!).

    Toda a gente que trabalha neste Clube, fá-lo maioritariamente pelo Amor que lhe tem e não pelo rendimento que lhe trás. Mas há que começar a ponderar isso mesmo.

    Todos necessitam de ter condições para exercer melhor a sua função.

    O melhor cirurgião tem que ter o melhor equipamento, pois sem ele não será o melhor cirurgião!

    Para exigirmos, temos que dar condições para que cada um seja também responsável e exigente.

    Cada um de nós, como sócios, tem o dever de exigir, mas tem que estar consciente do grau de exigência que impõe.

    Poderemos exigir ter um Clube nos Nacionais, se nem um local (nosso) temos, para treinar?

    As captações de jovens promessas são mais fáceis para o Salgueiros do que para os outros?

    Quer queiramos quer não, o Salgueiros terá que ter condições (humanas, logísticas, financeiras, formativas, directivas, etc) para se manter (de início) e para evoluir e crescer (já a partir de amanhã!).

    Como se criam essas condições? Com muita determinação. Com muita coragem e paciência. Com as pessoas certas, nos locais certos, mas sobretudo, com muito apoio financeiro.

    Teremos que dar na próxima Assembleia Geral, um voto de confiança a quem lá está e tentar intervir de forma a que todas as questões possam ser colocadas nesse dia e, se possível, resolvidas ou encaminhadas para resolução.

    O Futuro está nas nossas Mãos!

    Abraços a todos!


  12. pereirarjr Says:

    Às vezes ocorre-me a imagem do indivíduo que perde tempo à procura dos seus óculos... que afinal já estão na sua cara!

    O Salgueiros não pode publicitar o seu bingo nas camisolas, estaticamente nos seus jogos em casa ou mesmo neste blogue?

    O bingo a facturar devidamente e liberto de constrangimentos de passivo já é um excelente contributo.


  13. G Says:

    Nada que não tenha sido já pensado e proposto a quem gere o Bingo... Entretanto tambem já sugeri á michelin que fizessem pneus redondos...


  14. Magalhães Says:

    Luís,

    Desde já os meus parabêns pelo texto; pela excelente abordagem aos REAIS problemas que temos e as questões que correm na cabeça dos Salgueiristas.
    No entanto lanço desde já uma reflexão:
    NUNCA PODEMOS ESQUECER QUE SÓ TEM ACESSO/VOTO ÁS ASSEMBLEIAS QUEM FOR SÓCIO COM QUOTAS EM DIA, tudo o resto são frases bonitas e sentidas de gente que como eu Ama este nome Salgueiros, mas estas frases só têm sentido e PODER se existirim sócios. Actualmente no SCS08 nem temos 350 sócios, e com este numero muitas questões se esbatem, e posso afirmar para todos lerem, , ASSIM PODE-SE APROVAR TUDO O QUE SE QUISER EM ASSEMBLEIA, pois os votos contam-se pelos dedos de uma mão.
    Existem muitos e muitos problemas que TÊM que ser solucionados no clube, e só os sócios os resolverão.
    Para terminar tenho uma questão que me apoquenta, e que é mais importante que todas as outras:
    SERÁ POSSÍVEL A CONTINUA EXISTÊNCIA DO NOSSO SALGUEIROS SEM REFERÊNCIAS FISÍCAS, SEM MEIOS FINANCEIROS, SEM UM NÚMERO EXPRESSIVO DE SÓCIOS, SEM UM ESTRATÉGIA PARA O FUTURO A MÉDIO E LONGO PRAZO???
    Eu sei a resposta e vocês????????

    Salgueiros até ao meu último dia de vida


  15. João Says:

    O Salgueiros08 teria muitos mais sócios com as cotas a 5€ e não pagar joia de entrada como novo sócio.

    João Cardoso


  16. Deus Says:

    Hoje acho que estamos todos de acordo.

    O Salgueiros tem que melhorar se quiser "manter-se à tona" e, se possível a médio prazo, sair da situação em que se encontra!

    O Bingo é uma excelente questão/solução (caso seja viável). Pode não patrocinar o Salgueiros, mas pode ser patrocinado no Salgueiros. Já foi considerado dos melhores (não sei como está neste momento).

    A Formação é fundamental e necessária para o crescimento do Clube e valorização dos atletas, nas diversas modalidades.

    As iniciativas do Dep. de Marketing SCS08 contribuíram para uma divulgação, não apenas do futebol, mas também de outras modalidade, com a experimentação - aos sócios mais jovens (e de forma gratuita) - das modalidades dentro do Clube.

    Os sócios têm que cumprir com as suas obrigações e apoiar no que for preciso (na medida das possibilidades, quer financeiras quer prestando algum serviço no interior do Clube - certamente seriam apreciadas mais "mãos" e mais "cérebros" que gostassem de ajudar e tivessem a disponibilidade para o fazer.

    Mas, há pouco esqueci-me de mencionar, e acho importante não esquecer: a importância das chamadas «modalidades amadoras».

    Elas foram - durante este ano - sozinhas, e muito menos apoiadas que o futebol, uma das maiores "alavancas" de projecção do nome "Salgueiros", com resultados fabulosos e prestigiantes. Colocaram o nome do Salgueiros na boca de muita gente e em todo o país.

    O trabalho de todos esses departamentos (com ou sem apoio) - desde as camadas jovens, ao andebol, futsal, pólo aquático, etc, tem que merecer, da nossa parte, o maior respeito e o nosso apoio.

    Fica aqui a lembrança!

    Abraços.


  17. pereirarjr Says:

    Correndo novo risco de propor a reinvenção da roda, uma forma de aumentar as receitas do futebol sénior poderia passar pela utilização de um campo no qual se pudesse explorar publicidade (estática) e bar e oferecer melhores condições ao público, para reduzir o efeito do mau tempo. Faria sentido negociar um contrato de arrendamento multi-anual com uma autarquia tendo em vista a utilização de um equipamento municipal (por exemplo, estádio da Maia)? Segundo o orçamento aprovado para esta época (o único elemento objectivo de que disponho), a utilização para treinos e jogos do campo do Senhora da Hora terá custado 7,000 euros esta época. Pode o Salgueiros, com o mesmo dinheiro, obter uma solução melhor que a actual? De resto, a minha impressão é que muito dificilmente o clube terá instalações próprias - tenham o formato que tiverem: estádio, mini-estádio, complexo de treinos ou algo intermédio - sem uma parceria pública e/ou privada. Mas do lado público, a política futebolística municipal do Porto é conhecida... E do lado privado, se nem patrocínios nas camisolas se consegue... Ainda assim, e provavelmente, a única solução terá de vir mesmo do próprio clube:.reduzir o passivo, restabelecer a credibilidade e mostrar disponibilidade financeira, mesmo que não muita, ou seja, avançar com dinheiro do bingo. Há outra? Vamos bater na mesma tecla do meu primeiro comentário.


  18. Magalhães Says:

    Para quem tiver atento, existe gente jovem e dinamica a trabalhar gratuitamente, este muito tem sido feito, mas falta ainda muito mesmo muito.
    Lanço oura pergunta:
    Alguém que se diga Salgueirista não é sócio do SCS08 por pagar em vez dos 5 Euros os "famosos" 10 euros e por pagar Joia??? Ou é mais uma daquelas desculpas que origina a situação actual do nosso Salgueiros???
    Nem preciso da resposta, é daquelas perguntas sem sentido.


  19. lfg Says:

    Caro pereirarjr

    sobre esta frase "poderia passar pela utilização de um campo no qual se pudesse explorar publicidade (estática) "
    mais um elemento factual:
    o Salgueiros tem neste momento toda a possibilidade de explorar publicidade estática no Sra. da Hora. Foi salvaguardado no contrato de aluguer.

    Porque não tem lá publicidade estática?
    Mesma razão que as camisolas... dezenas (ou centenas?) de empresas contactadas, a oferta consta do Dossier de Marketing, é apresentada como alternativa a quem pretenda uma possibilidade de patrocínio mais acessível e... até hoje... não há interessados.

    Eu sei que soa a discurso pessimista... mas mais do que tudo gostaria de ler aqui argumentos que me tornem mais optimista.


  20. lfg Says:

    Uma visão sobre as outras modalidades

    Não vejo nem acompanho as modalidades que não o futebol. Quando pago os 5€ de quota do Sport Comércio e Salgueiros acredito que além dos custos fixos do clube estarei a ajudar a subsidiar as diversas modalidades incluindo futebol de formação.
    Gosto de dizer que temos 700 jovens a praticar desporto. Acho que o Salgueiros também é Salgueiros por causa disso. E estou disposto a pagar para isso… até um dado ponto.
    Penso ser relativamente certo que todas essas modalidades serão por natureza deficitárias – não geram receitas próprias suficientes para os custos.
    Para a estrutura directiva existente não me parece possível imaginar que mais modalidades possam ser criadas ou mais escalões… e possivelmente seria até avisado ou mais equilibrado terminar com algumas/alguns. Digo eu dado a constante ‘reclamação’ de falta de adeptos nos jogos, falta de gente para colaborar ou falta de apoios financeiros, facilmente verificável nas entrevistas na rádio.
    Qual o critério? Calcular a receita que o SCS gera em quotas. Retirar o gasto em custos administrativos. Alocar o restante ao pagamento de cada modalidade, na proporção de: n.º de atletas, importância histórica e títulos alcançados, interesse dos sócios pela afluência dos mesmos aos eventos destas modalidades. Esta avaliação terá sempre algo de subjectivo.
    A partir desta receita subsidiada pelo clube, cada secção, gerida com elevado grau de autonomia (sem gente disponível para assumir essa gestão não parecem viáveis), deveria apresentar um orçamento com as suas receitas próprias (pagamentos de atletas e eventuais patrocínios (se no futebol são difíceis imaginemos nas outras modalidades…) e subsídios) e total de gastos. Caso não haja equilíbrio e seja ultrapassado o valor subsidiado previsto pelo clube, por muita responsabilidade social ou nível de simpatia que as modalidades tenham no clube, terá necessariamente que ser reavaliado o n.º de escalões ou até a continuação da secção.
    Qualquer critério sentimental para lá deste estará, de uma forma directa ou indirecta, a aumentar o passivo do clube – o caminho inverso do que necessitamos de tomar.
    As modalidades têm elevado o nome do Salgueiros bem alto e merecem ser subsidiadas… até ao nível que exista $ para as subsidiar. E mais uma vez sem mais sócios, não existirá mais $ para subsidiar o que quer que seja.

    Aqui fica uma sugestão para uma próxima AG do SCS. Além dos documentos fiscais obrigatórios, penso que seria bom para aclarar a importância e o peso de cada modalidade, a apresentação de um documento com uma simples quadro resumo com os seguintes elementos por modalidade, por época desportiva (e não por ano fiscal):
    - n.º atletas e n.º escalões
    - valor de receitas próprias (subsídios, patrocínios e quotas de atletas)
    - valor de receita subsidiada pelo clube
    - total de custos
    Penso que seria uma simples página A4 que daria aos sócios do S.C. Salgueiros uma visão mais fácil de apreender da realidade das modalidades do clube, que uma Demonstração de Resultados de um ano fiscal nunca dará.

    Saudações salgueiristas
    Luís Gomes


  21. ZOMBIE 85 Says:

    Boas SALGUEIRISTAS
    Uma das questões que mais me preocupa a mim e muitos SALGUEIRISTAS é realmente o estado em que se encontram os terrenos de arca de agua.

    Esses terrenos são efectivamente do SALGUEIROS?
    Poderá o SALGUEIROS utiliza-los se por ventura num futuro próximo decidir construir um complexo desportivo?

    A meu ver o futuro do nosso clube passa por teremos as nossas próprias instalações ate porque tem a ver com a nossa identidade, actualmente as condições que temos estão longe de serem as melhores o que nos coloca em clara desvantagem com todos os nossos adversários, se não vejamos as horas tardias a que os nossos jogadores treinam.

    Isto para não falar das camadas jovens e a autentica gincana que é todos os dias para eles poderem treinar e jogar.

    Eu acredito que com muito trabalho e a união de todos os SALGUEIRISTAS é possível arranjar soluções para os reais problemas do clube que são muito mais importante do que se joga o jogador A ou B.

    Se querem realmente ajudar o mínimo que podem e devem fazer é tornarem-se sócios do SALGUEIROS pagarem as cotas todos os meses para os que deixaram de pagar tentem regularizar a vossa situação.
    Eu também tinha anos de cotas em atraso e neste momento tenho a situação quase regularizada,é uma questão de irem a sede e falarem com a direcção eles comigo foram espectaculares,porque se não forem os SALGUEIRISTAS quem é que nos vai ajudar?

    SALGUEIROS ATE MORRER
    Sócio 3502/240


  22. Queremos um salgueiros mais forte?
    - Façam-se sócios do Salgueiros.
    - Temos a classe de escolas em várias modalidades. Tragam para as nossas escolas os vossos filhos, netos, sobrinhos, amigos, etc.
    Porque os levam para as escolas de outros clubes?
    Deste modo também ajudamos o Salgueiros a ser mais forte.
    Devemos pedir em função daquilo que damos.


  23. Suevo Says:

    A base de sócios é pequena e continuará a ser pequena, muito pequena mesmo para as distritais. A esmagadora maioria dos adeptos quase se gabam de não serem sócios.

    Instalações desportivas próprias, isso está fora de questão, só se fossem oferecidas, e mesmo sendo oferecidas atenção aos custos de manutenção, fica mais barato jogarmos em campos alugados.
    Instalações camarárias sim, sou a favor, mas isso não depende dos clubes.


    Futebol:
    Só devemos gastar aquilo que temos, até porque essas situações do credito fácil fazem parte do passado.
    Clubes como o Benfica estão condenados, só se a CGD ou o estado português os salvarem (nem que seja via câmara de Lisboa), e mesmo o Porto e o Sporting tem que ter muito cuidado a CURTO prazo para não ficarem também eles condenados. Não estamos em época de aventuras.

    Quanto à formação, este ano foi desastroso, todas as equipas desceram de divisão, com uma excepção. Num escalão conseguiram mesmo descer no distrital.
    À parte disso, e aqui sei que é uma opinião isolada minha, acho errada a aposta massiva em jogadores vindos doutras latitudes, em vez de apostarmos na nossa juventude do norte, mas já sei que é uma opinião minha que não é partilhada pelos restantes.
    Quanto é que o clube gastou com os jogadores africanos ou brasileiros que estavam nos juniores? Para mim esta aposta é errada, e para azar daqueles que fizeram essa aposta, os resultados falaram por si.

    Eu prefiro, sem qualquer duvida estagnar na divisão honra distrital, a transformar o salgueiros num clube satélite como foi referido. Mas acredito que podemos chegar aos nacionais, mas não defendo que se dêem passos maiores que a perna para alcançar os nacionais.
    Só devemos gastar o que temos, se há socios que entendem que é preciso apostar mais e fazer contratações, então que as paguem do bolso deles.

    Quanto a potenciais investidores, quem conhece a situação desastrosa em que está o norte e o Porto, sabe que não se aproximam tempos fáceis, não só para o Salgueiros, mas para todos os clubes daqui. As receitas em publicidade irão cair em todos os clubes do norte, com uma ou outra excepção pontual.


  24. RF3 Says:

    o clube so poderia ser satelite de algum "grande" se conseguise os nacionais nenhum clube com boa formacao coloca jogadores nas distritais 1 porque nao e profissional, e depois porque nao e competitivo para os atletas, o salgueiros tem que atingir o campeonato nacional a partir dai pensoo que algumas portas se abrirao,penso que muitas qestoes pertinentes foram aqui colocadas,por isso cabe a direcao esclarecer se os terrenos da arca d agua sao nosos ou nao etc


  25. Eliana Says:

    Nos quadros dos campeonatos nacionais da 2ª e 3ª divisão estão muitos clubes de pequenas localidades e sem qualquer tradição. Este ano tivemos até um Carregado a disputar um campeonato profissional, num estádio de outro conselho.

    Alguns destes projectos assentam nos jovens da região, e o seu sucesso desportivo durará enquanto durar uma "geração deouro". Depois, voltarão para a sombra dos distritais, orgulhosos do feito histórico, e continuarão.
    Outros projectos são baseados em dinheiro, e equipas que surgem do nada, vencem, e desaparecem quando o dinheiro acaba. E assistimos à anormalidade de clubes como o Valdevez ou o Nelas, com salários em atraso, a abrirem falência e acabarem.

    No actual plano nacional, mais clubes profissionais e amadores vão cair nos próximos anos. Por isso, acho real a possibilidade de, mantendo a aposta nos nossos jovens, chegarmos à terceira dvisão nacional, e, uma vez ou outra, espreitar a subida.
    O mérito passará por manter a política actual, e ter muita paciência.

    Carlos Fernandes 2296/257


  26. Eliana Says:

    Na primeira época tivemos momentos memoráveis, que não ficam atrás dos vividos na primeira divisão.
    Mesmo este ano mais cinzento, recordo o jogo em Custóias, e a resposta eufórica que demos ao mau desportivismo do adversário, ou a explosão de alegria depois do golão do Passos em Perafita...
    Prefiro os distritais com os "nossos", aos nacionais com "os outros".

    Digo não à "satelitização".

    Carlos Fernandes 2296/257


  27. Eliana Says:

    Uma parceria que veria com bons olhos seria com a Universidade do Porto, que tem a vantagem de ter uma Faculdade de Desporto próximo do nosso berço.
    Dos óbvios benefícios para ambas as partes que já são acima sugeridas pelo caro consócio RF3, à hipotética utilização de instalações.

    Ainda que não se firmasse um acordo, acho que a divulgação do clube devia ser feita na população da Universidade/Poltécnico/..., onde podíamos angariar atletas de ambos os sexos para as diferentes modalidade, e aumentar o número de sócios ou pelo menos adeptos (são milhares de estudantes que todos os anos chegam ao Porto, e não sendo adepta dos andrades, pode ter no Salgueiros uma referência clubística na cidade).

    (Ao desenvolver este comentário, fico com a sensação de que se tivesse de gastar algum dinheiro em divulgação, apostaria forte aqui)

    Carlos Fernandes 2296/257


  28. Eliana Says:

    Sobre a recuperação de sócios

    "Alguém que se diga Salgueirista não é sócio do SCS08 por pagar em vez dos 5 Euros os "famosos" 10 euros e por pagar Joia???"

    Alguém que tem falta de ar deixa de comprar a medicação ou o oxigénio por causa de uns euros por mês? Infelizmente acontece cada vez mais.

    Sou sócio, e tento ir ver todos os jogos fora, onde não me custa dar os 5 euros do bilhete. No nício da época quando fomos à Póvoa levei a minha mulher e o meu cunhado. Já não achei tanta piada a desembolsar 15 euros.
    A verdade, é que na maioria dos lares de Salgueiristas, a quotização mensal pode representar não 10 em vez de 5, mas 30 em vez de 15 ou 40 em vez de 20. E isso começa a fazer diferença.

    Entendendo e subscrevendo a ideia que presidiu à actual quotização, a verdade é que, face aos resultados (350 sócios), temos de a repensar.
    Acho que deve ser feita uma análise (como se faz nos estudos de marketing), da população de sócios do SCS e do SCS08, conhecer as características e diferenças entre as duas, e perceber onde se está a falhar.

    No caso das famílias, penso que se pode encontrar uma solução, (Por exemplo, apenas um dos membros do agregado familiar tenha de pagar a quotização suplementar do SCS08, para que os familiares sócios do SCS com quotas em dias possam entrar nos jogos)
    (creio que já há existem quotizações particulares para reformados e menores)

    Carlos Fernandes 2296/257


  29. lfg Says:

    "por isso cabe a direcao esclarecer se os terrenos da arca d agua sao nosos ou nao etc"

    acho confrangedor que ainda se coloquem hoje estas questões... dum assunto de tão grande importância e que já foi publicamente e em AGs explicado e re-explicado.


  30. Eliana Says:

    Todos os adversários que encontramos nos últimos 2 anos, todos os clubes que vão chegando aos campeonatos nacionais, têm um recinto,(seu ou da autarquia/freguesia), a que podem chamar casa.
    Já conhecemos quase todos os campos de Gaia e Matosinhos e invejamos as suas condições.

    A CMPorto tem outra política, mas não será sempre assim. O Rui Rio fez questão de cortar/afrontar a relação com o futebol, assumindo que estava corrompida/promíscua, e depois, ao longo dos anos manteve-se cegamente inflexível.
    Acredito que outro presidente da câmara não terá a necessidade de manter este compromisso cego, e portanto, a médio prazo poderemos ter alguma ajuda camarária...
    Cedência de nstalações? Construção de um recinto semelhante aos das autarquias vizinhas? Divisão de um destes recintos com outros clubes?

    Agora, a verdade é que um clube que se endivida como nos endividámos não merece credibilidade. Daí a importância de mostrar o esforço que tem sido feito para pagar o que devemos, e o plano para chegar ao "passivo zero", de que alguém falava há uns meses.
    Neste ponto gostava de ouvir a resposta colocada por "pereirajr" em relação ao Bingo - e de perguntar até onde é que seria o Salgueiros viável sem aquele.

    Carlos Fernandes 2296/257


  31. João Says:

    Sei de de muitos adeptos do Salgueiros 08 que não são sócios por a cota ser muito cara. A Média da cota nos clubes do regional é de 2.50 e quando digo 5€ sei que iria ter bastante adesão de novos sócios.
    A diferença já se viu esta época em que havia menos gente a ver os jogos fora porque o preço subiu de 3€ para 5€ e na proxima época será mais caro.
    É melhor ter novos sócios com as cotas a 5€[não pagar joia ) do que ter as cotas 10€ e não entrar novos sócios.
    Esta é a realidade porque não há novos sócios.
    Se o Salgueiros mudar de campo para o ano ainda vai ser pior já que o actual é o que tem melhor transportes.
    Muitos que enviam comentários só sabem dizer mal de ideias que não sejam as deles

    Joao Cardoso


  32. The_Val Says:

    Boa tarde.

    Parece que cada vez mais as pessoas concordam com aquilo que alguns (como eu) têm vindo a dizer desde a época passada.

    Estou, obviamente a referir-me à questão da quotização e da fraca adesão de sócios.

    A questão parece obvia: A 10 euros temos poucos sócios, logo é caro.

    Com tanta gente a falar no assunto, pode ser que isto seja, finalmente tomado em consideração.

    Valdemar de Oliveira


  33. lfg Says:

    Como parece que muitos desconhecem algo tão decisivo como a situação patrimonial do clube, apesar da mesma já ter sido explicada e re-explicada pelo menos em 4 ou 5 Assembleias Gerais, está transparente nas contas oficiais do clube e até já foi abordada na 1.ª pessoa pelo Presidente em várias ocasiões nos média, e como não gostava de ver a discussão estagnada…
    Aqui vai uma explicação sucinta de factos e interpretações de senso comum. Nada disto é novo e foi já repetido diversas vezes e de diversas formas pelos órgãos competentes. Os termos técnicos e os detalhes podem não ser os mais precisos mas a ideia base estará concerteza.
    - Algures no tempo o Salgueiros recebeu 3 lotes de terreno da CMP, designados normalmente por ‘terrenos da Arca D’Água’;
    - O valor dos mesmos foi avaliado algures no tempo durante a gestão do Presidente Linhares em 30 milhões de euros, passando a estar registados no balanço do clube por esse valor;
    - Com o decorrer dos tempos os diversos lotes foram sendo dado como garantias de diversos empréstimos (hipotecas). Também ao longo dos tempos, outros credores executaram esses terrenos por outras dívidas não pagas pelo clube (penhoras), dado ser o único activo com valor de que o clube dispunha;
    - A partir desse momento e apesar do Salgueiros manter a posse dos terrenos, deixou de os puder negociar livremente, sem o acordo dos credores ou sem lhes pagar antes as dívidas que estes executaram judicialmente. O equivalente a comprar-se um apartamento com empréstimo bancário: a posse do apartamento é de quem o compra mas nunca o poderá vender sem o banco levantar a respectiva hipoteca, ou seja o banco levanta a hipoteca com o pagamento do empréstimo, possível pelo valor da venda do apartamento;
    - Algures em 2005 um dos lotes chegou ao final do processo judicial de execução e acabou por ser vendido em hasta pública por 3.000.000€. Naturalmente este valor não entrou no Salgueiros, mas foi sim entregue aos credores respectivos. No entanto, como se pode verificar nas contas de 2008, o passivo do clube reduziu-se neste valor, com a redução das dívida aos credores envolvidos. Naturalmente, o activo do clube reduziu-se pelo mesmo montante.
    - Pouco depois tornou-se público, e foi explicado já múltiplas vezes em AG e na TV, que a compra deste lote foi feita por uma empresa em que o Presidente do Salgueiros é sócio, com a justificação que o fez para salvaguardar que o lote ficasse com alguém próximo do clube, dado que era de todo impossível evitar a venda. De alguma forma comprometeu-se que numa futura venda, após recuperar o montante investido e a sua natural remuneração, poderia eventual mais valia excedente reverter a favor do clube;
    - A partir desse momento não houve nenhuma notícia recente sobre qualquer venda judicial referente aos dois outros lotes e como tal o apresentado com as contas de 2008 ainda deverá ser válido. Os 2 lotes são do Salgueiros tendo no entanto ónus de montante elevado (não sei precisar quanto) que impede o clube de os negociar livremente. Aliás a questão é mais evidente ainda porque, no dia em que estes lotes fossem vendidos, e não fosse liquidado todo o passivo com o resultante da venda (algo impossível certamente se fossem vendas judiciais), os dirigentes do clube estariam legalmente obrigados a declarar o clube insolvente;


  34. lfg Says:

    - Como explicado na última AG a única solução para este impasse é encontrar um comprador interessados nos terrenos, negociando com os credores em causa o pagamento parcial das dívidas em causa que permitissem a venda. Idealmente além do pagamento do passivo seria ainda possível ‘sobrar’ alguma receita desta venda para investimento, em por exemplo um centro de estágio;
    - O grande entrave a esta solução é o actual momento do mercado imobiliário. Como foi dito: não existem propostas nem pelos valores dos terrenos, nem por valor nenhum. Simplesmente até ao momento não apareceu ninguém interessado de forma concreta e real;
    - É preciso notar que só com um grande grande negocio, este cenário pode ter sucesso… um cenário intermédio poderá bem ser uma venda por valores que permitam apenas eliminar parte do passivo… ficando nessa altura o clube sem activos… e numa situação de extrema dificuldade. Se se concretizassem vendas judiciais dos restantes lotes, seria o que aconteceria com toda a certeza;
    - Na prática, a solução do problema ‘terrenos’ tem muito pouco a ver com o que o clube possa fazer ou tentar fazer, e muito a ver com a conjuntura do mercado que poderia gerar procura para os ditos terrenos. O valor da referida avaliação de 30 milhões de euros deve ser no mercado de hoje meramente imaginário.
    Como iniciei e repito: tudo isto é facto, é conhecido e o mínimo esforço de alguém interessado no clube permitia o acesso a esta informação. Aliás a famosa pergunta ‘os terrenos ainda são do Salgueiros?’ é repetida em TODAS as AGs do Salgueiros e do Salgueiros 08 desde 2005.
    Ter um clube do ‘peito’ dá muitos direitos, mas também dá, ou deveria dar, algumas responsabilidades. Os clubes, muito mais um clube como o Salgueiros, têm que ser uma organização associativa que viva dos seus sócios. Da sua intervenção, da sua colaboração, dos seus votos para eleição de órgãos directivos, da sua fiscalização da acção dos mesmos e das suas quotas.


  35. lfg Says:

    Sobre a questão das quotas deixo mais informação:
    - foi colocado por dois sócios em intervenções a questão das quotas;
    - foram dadas explicações por dois membros da direcção das razões dos valores estabelecidos e manifestada a intenção de manter os valores actuais;
    - NÃO FOI colocada por ninguém nenhuma proposta à mesa para ser alterada a quotização;
    - NUNCA foi discutido numa AG do SCS as quotas do SCS08, o que apesar de formalmente 'esquisito' estou certo que a CA não limitaria essa discussão, no caso de um sócio do SCS o quisesse fazer.

    Por último, para colocar a questão em debate e até para apresentar uma proposta à mesa para alterar o valor das quotas, basta a um sócio do SCS um investimento de 5€ para se inscrever como sócio do SCS0 e marcar presença dia 25 para se fazer ouvir.


  36. pereirarjr Says:

    Até ver, a maioria dos comentários feitos são puramente especulativos, sem sustentação empírica. Comenta-se sobre assuntos sobre os quais se sabe muito pouco, como o bingo, os terrenos de Arca d'Água ou o preço das quotas.

    A impressão com que fico, ao fim de cinco anos e meio de comissão administrativa, é que ainda não existe um pensamento estratégico para o clube, nem muito menos vontade de tomar decisões difíceis. Estamos numa situação directiva inconclusiva, em que uma coisa tão simples e tão importante como actualizar o número de sócios não se pode fazer.

    Já se tornou evidente nesta discusão que falta a intervenção do lado mais responsável: o da Comissão Administrativa. O quadro actual de divisão em 2 clubes, bem como a política de quotizações, existem, primordialmente, por iniciativa e continuação da actual comissão administrativa. A sua intenção é tentar conciliar, por um lado, a vontade de reabilitar o Sport Comércio e Salgueiros (pelo menos permitir a reinscrição da equipa sénior, desbloqueando, finalmente, os impedimentos colocados por antigos jogadores) e, por outro, levar o Salgueiros 08 até aos campeonatos nacionais. Isto é tudo que temos ouvido e aceite, de resto, da parte da Comissão Administrativa. Desportivamente sabemos que o Salgueiros 08 já cumpriu dois terços do trajecto; mas que dizer do passivo ou bingo?


  37. Magalhães Says:

    Quem me conhece sabe o quanto AMO este clube, é com imenso prazer que verifico esta dinamica de comentários, aqui está a prova da nossa grandeza, bem ajam Salgueiristas.
    Existem questões para o qual existem respostas, e essas só têm resposta na próxima Assembleia; como eu gostaria de vos ter a todos presentes no dia 25 de Junho.
    Questões importantes para a Assemblea.
    * Qual a situação REAL dos terrenos de Arca-da-Água?
    * De que forma poderemos ter uma estrutura fisica para as centenas de atletas?
    * Qual o plano de pagamento das dividas antigas, será que estamos a cumprir todos os compromissos?
    * Para quando o Sport Comércio absorve o SCS08 e temos então só um clube?
    * Para quando uma sede Social, tão importante para o convivio diário dos Salgueiristas?
    Estas e tantas perguntas só têm RAZÃO de existir se tivermos centenas, ou talvez mais de um milhar de Salgueiristas na próxima Assembleis.
    Ultima pergunta:
    EU VOU LÁ ESTAR E VOCÊS ???????????????

    Salgueiros até ao ultimo dia da minha vida


  38. Nuno Miguel Says:

    Tenho pena de não poder estar na AG e espero que esta seja concorrida e participada. Algumas das questões que eu gostaria de colocar já foram referidas nos comentários anteriores mas gostava particularmente de colocar estas.

    No estado actual de gestão quanto anos vai demorar até serem pagas todas as dívidas (se é que se está a fazer alguma coisa nesse capítulo)

    O montante e a proveniência das nossas receitas anuais?

    Concordo com a manutenção do Pólo, Andebol e Futsal. Trazem diversidade, animação, títulos e notoriedade ao clube. E permitem que crianças possam vir praticar outras modalidades que não o futebol no nosso clube. E permite também que alguns deles se tornem nossos adeptos. Isto para além do facto importantíssimo de proporcionarmos aos atletas um meio de se formarem como homens e cidadãos mais equilibrados. Mas tudo isto com a condição de não agravarem o passivo do clube, ou seja de serem o mais possível auto sustentáveis.

    Não concordo com acções mais ou menos avulsas como aquela em que resolvemos criar uma secção ou tivemos um atleta de bodyboard(???) que nem sabia muito bem o que éramos. Revelou muito amadorismo da nossa parte...

    Quero o meu clube a apostar em atletas da casa o máximo possível e só. Nem sabia que havia estrangeiros nas nossas camadas jovens... e discordo completamente. Se são pessoas que vivem no Porto e optam por representar o nosso clube tudo bem, mas agora ir buscar atletas fora, estou completamente em desacordo. O clube é da cidade e para a cidade!

    Eu tenho dificuldade em imaginar como é que se pode ter equipas em todos os escalões em 3 ou 4 modalidades diferentes e conseguir organizar tudo, por isso acho que ter instalações era importante, mas compreendo que não haja dinheiro. Mas gostava de perguntar se mesmo sem dinheiro não há a possibilidade de assinar protocolos com entidades que permitam concentrar as nossas actividades em um ou dois locais. Talvez se conseguisse rentabilizar tempo, dinheiro e disponibilidades. E evitar treinar e jogar em dezenas de locais diferentes.


  39. Nuno Miguel Says:

    Quanto a futebol, acho que devemos continuar a jogar com a prata da casa o mais possível e gastar o que conseguimos reunir e não mais. Se conseguirmos subir assim tudo bem, se não for possível não acho que se deva entrar em loucuras outra vez por causa de alegrias passageiras. Temos um clube com 3 anos e até agora tudo tem corrido bem, a aposta tem sido ganha e temos feito muito com os poucos recursos (e únicos presumo) que temos. Mais não se pode pedir.
    Acho que até agora não se perdeu nenhum passo na escalada rumo aos nacionais. Devemos repetir a fórmula no próximo ano e lutar para subir outra vez. Com mais ou menos sucesso se verá.

    No dia em que tivermos as dívidas pagas aí sim se poderá pensar em outros voos. Mas isso depende das nossas receitas, e como não sei qual elas são...


  40. Nuno Miguel Says:

    Uma outra coisa que eu gostava de saber era o que pensam os dirigentes.

    Estamos a mandar as nossas sugestões, mas nada sei acerca da visão dos elementos da CA. Qual é o plano ou visão ou estratégia? Existe alguma? Se sim, partilhem connosco também.


  41. Suevo Says:

    Eu já nem gosto de abordar a questão dos socios, porque há não socios que se consideram mais salgueiristas que os socios, e sinceramente não estou para me chatear.

    No entanto, creio que quem escreveu neste post não está de má fé, por isso vou abordar o assunto.

    Voces quando pretendem baixar o valor mensal para 5 euros estão a tentar prejudicar o clube financeiramente, acredito que ainda não tenham reparado nisso, mas pensem.
    Se o clube tiver 350 socios a 10 euros, se as cotas passassem para 5 euros, ou o clube arranjava de IMEDIATO 350 novos socios, passando para 700, ou essa vossa proposta estaria a dar PREJUIZO ao clube logo no primeiro mes, já para não falar na diminuição de receita de bilheteira.
    Voces ao proporem isto, só podem em conformidade defender uma redução do orçamento para a proxima epoca, e um abdicar de qualquer aposta para subir.

    Eu acredito que vos custe pagar para o Salgueiros, mas fazerem propostas que prejudiquem o Salgueiros não me parece correcto.


  42. red_phoenix Says:

    - Ecletismo ou não? Deverá o Salgueiros continuar a aumentar o número de modalidades e escalões?
    Desde que as modalidades sejam auto suficientes não vejo porque não. Mas pessoalmente penso que já temos modalidades suficientes para um clube da nossa dimensão. Para além do mais as modalidades jogam quase sempre em pavilhões/piscinas às moscas. Não temos base de apoio para tantas modalidades, mas admito que se explore o ecletismo.

    - A base de sócios actual é suficiente? Será mesmo possível aumentá-la?
    Não é suficiente, e para a aumentar penso que terá que passar pela redução do valor das quotas. Não faz sentido nenhum ter que se pagar 10 euros mensais num clube dos distritais. Eu percebo a ideia da direcção, mas quase que aposto que tendo as quotas a metade do valor o numero de sócios duplicaria no minimo.
    A ideia de divulgar o clube no meio universitario parece-me excelente e acho que devia ser discutida na AG.

    - Como aumentar em geral as receitas do(s) clube(s)?
    Esta é a questão mais dificil e não há respostas faceis. Praticamente TODOS os clubes nacionais sofrem do mesmo e não existe um remédio santo. A ideia deverá passar por NUNCA gastarmos mais do que podemos e procurar parcerias para o clube no meio empresarial. Acho um bocado estranho que não se arranje um patrocinador para as camisolas por exemplo. O futsal tem muito menor visibilidade e conseguiu. Nem que não fosse pelos valores pretendidos, algum dinheiro é melhor que dinheiro nenhum. A maior parte dos clubes da nossa divisão têm patrocinios e o Salgueiros não consegue? É estranho.
    E se não se arranja porque não publicitar o bingo nas camisolas?

    - Será mesmo possível imaginar a breve prazo a fusão dos dois clubes?
    Definitivamente não. Nem sei se alguma vez o virá a ser.

    - Será que é viável fazer crescer outro tipo de receitas? Patrocínios? Merchandising?
    Patrocinios tem que ser possivel, se o futsal conseguiu o futebol tb tem q conseguir. No merchandising fez-se bastante esta epoca e a equipa de marketing está de parabéns. Será interessante ver os valores das receitas nessa area.
    Mas ainda se podem explorar muito mais produtos, a camisola de futsal por exemplo tem bastante procura e não sei pq não é vendida. Roupa de passeio do SCS também seria uma hipotese.

    - Será realista pensar a breve prazo na existência de instalações desportivas próprias? Como?
    Não temos dinheiro para isso. E preocupam-me os custos de manutenção, manter um estádio ou centro de estágio custa dinheiro e sem ajudas camarárias não temos ainda estofo para sustentar algo do genero.

    - Com uma estrutura directiva com reduzido número de elementos, é possível o clube crescer?
    Não vejo porque não, desde que se dediquem ao clube. Mais não é sinonimo de melhor desde que haja organização.


  43. red_phoenix Says:

    - Como atrair mais gente para colaborar no clube?
    A ideia do Eliana de entrarmos no meio universitario parece-me que tem que ser explorada.

    - Até que divisão será possível subir?
    Nas condições actuais subir para além da III nacional acho dificil. E com as receitas que temos subir para a II divisão poderia ser mesmo suicidio já que as despesas nessa divisão são muito superiores. Vejam a quantidade de equipas que no passado atingiram essa divisão e depois tiveram quedas vertiginosas precisamente devido a não estarem financeiramente preparadas para tal.

    - Planteis de formação ou altamente competitivos (com maior investimento)?
    Não vejo qualquer problema em termos planteis de formação. Não me parece é que se possa ter planteis de formação e andar a dizer que queremos subir todas as epocas. Desde que os responsaveis assumam desde inicio ao que vamos não há qualquer problema.

    - Como ter orçamento para ser competitivo, com as receitas existentes?
    Para o ano por exemplo acho que deveriamos tentar ir buscar 2 ou 3 jogadores experientes (antigos jogadores talvez) que viessem para o clube sem custos. A divisao de honra é terrivel e só sobe quem tem realmente boa equipa, infelizmente com a equipa deste ano e a jogar como jogamos não passariamos do meio da tabela.

    - Estarão os sócios disponíveis a ter uma equipa com base na formação?
    Infelizmente a maior parte dos socios ou apoiantes (nao so do salgueiros mas de todos os clubes) quer é ganhar, logo pouco lhes importa se a base é da formação ou não. No final o que lhes importa é se a equipa ganha ou não.


  44. lfg Says:

    O Bingo

    A primeira grande decisão da actual C.A. do S.C.S. foi levar a AG a proposta de entregar o Bingo à exploração de uma sociedade, com um contrato escrito que previa que as primeiras receitas libertas seriam para abater o enorme passivo do clube gerado directamente pelo bingo (funcionários, impostos, renda, águas, luz, etc.)
    Ora se aparentemente o contrato nunca entrou em vigor por falta de aprovação da IGJ (informação em AG) a verdade é que, na continuação do enorme trabalho de reestruturação que a anterior CA já tinha realizado, o funcionamento do Bingo mudou e voltou a gerar receita e a destacar-se como dos melhores bingos nacionais. Esta foi uma inflexão conseguida por esta C.A. que contribuiu decisivamente por aina existir Salgueiros.
    Como foi comunicado também em AG (é difícil saber sem lá ter estado), as receitas libertadas permitiram por exemplo estar a poucos meses de acabar de pagar todos os acordos com antigos funcionários, que tiveram que ser despedidos na reestruturação. Além de financeiramente ser um facto de relevo, em ermos sociais é algo que muito deve orgulhar os salgueiristas.
    Ora um Bingo a ser cumpridor das suas obrigações, a gerar receita adicional para pagar passivo e ainda a libertar alguns meios para o SCS é sem dúvida o activo mais crucial neste momento para a manutenção do SCS vivo.
    A renovação da licença neste ano será um factor crucial para haver futuro para o Salgueiros.

    Quem foi à ultima AG do SCS... ou se deu ao trabalho de consultar as contas na sede do clube, saberia uma coisa: apesar das inúmeras reclamações dos 5€ pagos para o SCS, e de ser quase unánime a continuação de todas as modalidades e futebol de formação, as receitas directas do SCS (quotas, subsidios, patrocínios e vendas de material) não foram suficiences para os custos de estrutura e o custo das modalidades (continuar a escrever-se que se concorda com as modalidades logo que sejam auto-sustentáveis é por isso fantasia).
    Donde veio a diferença? Do bingo.

    Aqui está uma inflexão de política que eu defenderia: como já escrevi no comentário das modlidades, estas deveriam receber apenas uma dada pecentagem da quotização disponível e gerar meios dicionais para fazer face às suas depsesas directas. As receitas adicionais do Bingo (rezando todos a Deus que continuem a existir) seriam na minha opinião apenas usadas para abatimento adicional de passivo – nunca para pagamento de custos de estrutura do S.C.S. Ou custos directos de modalidades.
    Creio que tal medida deveria criar um estrangulamento financeiro imediato, mas seria mais um factor de credibilização de relevo se devidamente usado, até em negociaões com entidades oficiais.

    Será que alguma vez o Salgueiros conseguirira sobreviver sem Bingo? Essa é uma possibilidade que tem que ser encarada, e a política de não usar receitas do Bingo para despesas correntes poderia obrigar até ao downsizing necessário para o clube ser auto-sustentável. Pelo menos para ser forçada uma reflexão de que tipo de actividade podemos sustentar com os meios de que realmente dispomos.

    Não nos iludamos é que o Bingo tem um potencial gerador de receita de peso inrivelmente superior que imaginar que de um dia para o outro se duplicam os sócios e a sua quotização, ou se arranja um patrocínio milionário, ou que se vendem 10 DVDs dos melhores momentos da época e com isso se pagam 3 reforços paa o futebol.

    Todas as receitas contam, mas é necessário ter noção das proporções.
    Infelizmente como no caso dos terrenos, neste momento o Salgueiros irá ficar um pouco de mãos atadas à espera de uma decisão favorável de renovação da concessão.


  45. lfg Says:

    Uma dúvida que me começa a apoquentar:

    - colocam-se reticências e perguntas a que Direcção / C.A. aparentemente não responde.

    Eu digo:
    - existe um programa de rádio de participação livre onde já estiveram presentes 3 membros da Direcção SCS08 e CA do SCS, incluindo o Presidente. Todas as perguntas poderiam ter ido colocadas;
    - existem AGs onde como já (penso que) demonstrei já foram respondidas 90% das questões que vão sendo colocadas.

    Quem se considera desinformado como propõe que os dirigentes do Salgueiros abordem estes temas com os sócios, alguns deles claramente a necessitar de alguma reserva:
    - sessões públicas de esclarecimento abertas a não sócios?
    - sessões de esclarecimento abertas só a sócios?
    - documento escrito em jeito de relatório de gestão com abordagem ao que foi uma época desportiva e plano estratégiro de futuro? aberto só a sócios ou público?
    - responder em comentários num blogue na internet?

    Vou tentar relançar o desafio. Quando questionarem e opinarem, deixem a vossa posição do que fariam diferente, ou do que seriam as soluções para as lacunas existentes.
    Uma espécie de: se fosse eu fazia assim....
    A seguir pensar: e porque não faço? e porque não tento fazer um pouco mais pelo meu clube?

    Porque é preciso não esquecer, E EU NÃO ESQUEÇO, que se posso opinar, criticar e dar sugestões, mas não estou disponível para assumir-me como dirigente para fazer diferente.
    E vocês estão?
    E porque não apareceu ninguém nem aparece e o SCS continua sobre a gestão de uma CA?

    Eu a cada linha que escrevo tenho presente o reconhecimento e agradecimento que tenho para com quem assumiu e assume diariamente manter o clube vivo. Espero que todos tenham.


  46. lfg Says:

    O Futebol

    Apesar de todas as modalidades terem a sua importância, o clube vive essencialmente do que pode potenciar a sua equipa de futebol. Em termos de emotividade, de adeptos, de mediatismo, de receitas publicitárias, e receitas de saída dejogadores... tudo passa e passará pelo futebol.

    No contexto actual que tem sido abordado, o Salgueiros 08 está a cumprir na perfeição aquilo para que foi criado: queimar etapas na subida de escalões até à resolução dos problemas do SCS, colocar em actividade jogadores saidos da formação dos SCS e estancar a perda de adeptos do clube.

    Ora não antevendo que o cenário dos 'terrenos' possa ter evoluções em breve, imaginando que o SCS continua a 'flutuar' com mais ou menos dificuldade, com maior ou menor ajudar do Bingo, creio que em termos de Salgueiros 08 a estratégia terá que ser mantida, com a devida adequação ao que já foi conseguido.

    Se o orçamento deste ano foi cumprido de forma equilibrada (algo a descobrir no dia 25), na ordem dos 80.000€, creio que ficará vincado o valor base que o SCS08 poderá gastar por época.... algo em torno dos 80.000 e 100.000€.
    Não me parece realista imaginar que o número de sócios vá duplicar, mesmo com hipotética redução de quotas.
    Creio que em duas épocas ficou claro que a base actual de apoio do Salgueiros pode rondar os 1000 a 2000 adeptos, e que boa parte destes aparece só em momentos de maior entusiasmo, não estando disponíveis para serem sócios, com o clube nestas divisões.
    Dada a dificuldade até ao momento do encontrar patrocinadores, parece-me também avisado não imaginar que as receitas dos mesmos vão subir em catadupa a cada ano que passa. Se 10 ou 15% o orçamento viesse de patrocínios seria óptimo... portanto imaginar que receitas publicitárias podem alargar o orçamento até próximo dos 90.000€/100,000€ será realista, acreditando-se que os patrocínios vão acabar por aparecer. Isto repito, partindo do princípio que as receitas este ano foram suficientes para pagar os 80.000€ de despesas previstas para o SCS08 na época 09/10.

    Portanto, terá que ser férreo o controlo deste orçamento e não deixar qualquer entusiamso acrescido ou pressão dos sócios deixar inflácioná-lo. Não se pode gastar mais do que se tem.

    Com base nesse orçamento, os objectivos aclaram-se e se com ambição e trabalho o clube pode tentar subir aos nacionais, num ou mais anos, a partir daí o que me parece realista será a manutenção nesse patamar. Manutenção até as condições estruturais do Salgueiros mudarem. O que pode demorar mais ou menos tempo. Provavelmente mais.


  47. lfg Says:

    Mediante isto acredito em :
    - manter aposta consequente em jovens jogadores, quer da nossa formação, quer das “formações vizinhas”;
    - iniciar a época com plantel mais curto e corrigir lacunas em Dezembro;
    - manter a componente de subsídos fixos o mais baixa possível e apostar nas remunerações por objectivos (prémios);
    - tentar voltar a cativar ex-atletas dos campeonatos profissionais para representar o clube – factor preponderante para manter o mediatismo da equipa e o entusiasmo dos sócios;
    - aposta num núcleo duro de jogadores para se manterem prolongadamente no clube. Podendo não ser os mais talentosos e promissores – esses serão os mais difíies de manter – deverão ser aqueles que mais se identifiquem com os valores do clube, com maior capacidade de sofrimento, com capacidadede encaixe para serem segundas poções, com capacidde de integrar novos altetas. Enfim, um núcleo duro que dê continuidade a planteis sucessivos com espírito à Salgueiros;
    - recuperar a fama de clube 'lançador' de jogadores, facilitando e promovendo saídas para campeonatos superiores – só assim existirá argumentos no momento de negociar com atletas condições financeiras menos favoráveis que noutros clubes;
    - ponderar a contratação de um director desportivo, que além de maior disponibilidade traga conhecimento já adquirido e de experiência feito e possa implementar boas práticas já conhecidas e testadas na gestão de um plantel de futebol. Uma 'profissionalização' da estrutura ligada ao futebol, não em termos de contratos de trabalho, mas em termos de rigor e exigência, elevados a patamares só habiuais noutras divisões poderá fazer a diferença. Só aumentanto o rigor, a exigência e a organização, aliado a espíito de sacrificio e qualidade, se conseguirão melhores resultados que as restantes equipas, com menos meios que estas;
    - tentar melhorar as condições de treino;
    - tenta melhor as condições de aluguer do campo em se disputem os jogos, de forma a não perder receita de bilheteira;

    Com a paragem da escalada e das subidas consecutivas terá que anualmente verificar-se o impacto disso nas receitas. É possível que as mesmas desçam a partir do primeiro ano que a equipa não suba. Será com esse novo patamar de receitas que o orçamento da época seguinte terá que ser equacionado... mesmo que tal represente redução adicional de custos.

    Por último, este ponto na vida do Salgueiros 08 sugere que o discurso para os sócios torne claro, sem perder ambição, que a escalada pode ter que parar em breve. Terá que ser claro o que existe para gastar e que está a ser bem gasto, dando os resultados possíveis.
    Na prática o discurso vencedor e os resultados vencedores não foram suficientes para atrair patrocinadores, por isso nesse aspecto um discurso mais realista em nada vai afectar as receitas. Por outro lado independentemente do discurso, os adeptos apareceram nas vitórias e nos momentos em que algo se decidia, e foram desaparecendo com maus resultados. Por isso penso que se ganha em começar uma consciencilização dos sócios para um cenário de estagnação numa dada divisão, o que pode até permtir alguma tranquilidade na altura de resultados menos bons. Isto porque a receita de bilheteira, no ano em que a equipa deixar de lutar paa subir, desce de imediato, de forma indiferente aos discursos ou aos apelos.


  48. lfg Says:

    Este terá que ser um Salgueiros com salgueiristas que compreendam e aceitam a desproporção entre o nome do seu clube e as condições de que hoje dispõe. Não podem adequar o que esperam ao nome do clube ou à sua história, mas sim às condições do mesmo no tempo presente.
    Como pode sobreviver e prosperar nesta contingência o clube? Destacando-se fazendo melhor e diferente do que outros:
    - saber formar jovens jogadores e não ter medo de lhes dar tempo para se tornarem bons jogadores;
    - manter uma gestão financeira de elevado rigor, com corte total com loucuras passadas - a credibilidade recuperada também ajuda no momento de cativar jogadores;
    - saber promover o que tem de melhor. Saber promover que o clube pode permitir a atletas jovens jogarem e mostrarem-se, para chegarem ao utros clubes;
    - acima de tudo cumprir o seu papel como clube antes do mais: cumprir com rigor as suas obrigações e dar o prazer aos seus sócios de ver a sua equipa a competir.

    E para já encerro a minha participação.

    Saudações salgueiristas
    Luís Gomes


  49. Olá a todos!
    O Salgueiros pode crescer em sócios se praticar um futebol agradável, vistoso, convincente e adulkto como aconteceu na época passada. Nessa época, os campos estavam sempre cheios porque a equipa do Salgueiros conseguia encantar os sócios... Já este ano o futebol praticado foi quase sempre horrroroso, feio, insuportável... Os jagodores com mais maturidade foram praticamente todos "encostados", privilegiando-se a imaturidade e o futebol inconsequente... Vi 905% dos jogos e, com duas excepções, vim para casa chateado e revoltado por assistir a jogos tão chatos, tão medíocres,tão cansativos e tão desinteressantes... Se o Salgueiros quer ter mais sócios, sem ter de gastar nem mais um centimo por isso, tem de fazer uma equipa com gente madura e experiente, aproveitando apenas alguns jovens, porque se continuar a insistir numa equipa de jovens inexperientes e maus jogadores, para o ano ainda terá menos sócios... Os sócios puxam pela equipa, mas a equipa também tem de puxar e cativar os sócios, porém, uma equipa sem garra e imatura, em vez de encantar os sócios, apenas os desmotiva e faz com que eles se vão embora...
    Este treinador, o Pedro, andou quase todo o ano a gozar com a paciência dos sócios: quanto a mim, ele não tem personalidade, não tem carisma, não tem garra, não tem alma, nem conhecimentos para ser treinador do Salgueiros... A melhor campanha para angariar sócios, não é fazer pedinchices: é ter uma equipa que jogue bem e com garra e para tal não é preciso gastar dinheiro, pois não falta gente com experiência e maturidade que quer jogar gratuitamente no Salgueiros, só que os jagadores mais velhos e experientes não querem ser desrespeitados pelo Pedro em favor dos jovenzitos, como infelizmente aconteceu este ano...
    Parece-me que o nome do Salgueiros merece mais respeito e tem de ser defendido por jogadores adultos, experientes e com alma...
    Abraços
    Jorge Marques


  50. Deus Says:

    Boas tardes,

    concordo na essência/conteúdo com o que o Luís disse e penso que a resolução para muitos problemas será encontrar soluções e não "criar ainda mais problemas".

    Dito isso, e respeitando que tenha a sua opinião, pergunto ao caro A. Jorge Marques qual é a necessidade de "insultar" os "jovenzitos" jogadores do Salgueiros e a sua equipa técnica, quando no mesmo texto pede "mais respeito" pelo nome do Salgueiros?

    Se "insultarmos" os membros integrantes de um Clube (por muita razão que tenhamos), as suas direcções, equipas técnicas, jogadores, alguém que está "em campo" por nós e diariamente trabalha no nosso Clube, eu pergunto: estaremos a "insultar" quem?

    Existem locais próprios para julgar a actuação de todos os elementos directivos de um Clube, e a próxima Assembleia é disso mesmo um exemplo.

    "Apontar o dedo" é simples!

    DEMONSTRAR, de forma efectiva e na prática, que faremos melhor que os outros, isso é dar o passo à frente e ser construtivo/impulsionador... e penso que é isso que se exige, neste momento!

    Queremos um Clube forte e temos que exigir, mas somente conhecendo tudo sobre a realidade do Clube e comentando com conhecimento de causa. Não é por dizermos que seriamos "melhores treinadores do que o Pedro" (figuradamente falando) que nos torna realmente melhores.

    Penso que nem a "Alma" nem o "profissionalismo" do Pedro podem ser colocados, aqui, em causa.

    Quanto aos jogadores "com experiência e maturidade" que não faltam por aí a querer jogar pelo Salgueiros, eles que apareçam. São bem-vindos, desde que, em vez do 2º lugar onde nos colocaram os nossos "jovens" jogadores, eles nos coloquem num lugar melhor ainda do que esse.

    Daqui a 7/8 anos esses "jovenzitos" já não serão "jovens" e, certamente, alguns serão excelentes profissionais e, nessa altura, começarão a ser considerados "velhos".

    É a lei deste desporto!

    Foram eles que colocaram o Salgueiros em 2º lugar, este ano. E, embora jovens, são eles que nos merecem o TAL RESPEITO e admiração.

    Abraços a Todos.


  51. RF3 Says:

    "- ponderar a contratação de um director desportivo, que além de maior disponibilidade traga conhecimento já adquirido e de experiência feito e possa implementar boas práticas já conhecidas e testadas na gestão de um plantel de futebol. Uma 'profissionalização' da estrutura ligada ao futebol, não em termos de contratos de trabalho, mas em termos de rigor e exigência, elevados a patamares só habiuais noutras divisões poderá fazer a diferença. Só aumentanto o rigor, a exigência e a organização, aliado a espíito de sacrificio e qualidade, se conseguirão melhores resultados que as restantes equipas, com menos meios que estas;
    - tentar melhorar as condições de treino;
    - tenta melhor as condições de aluguer do campo em se disputem os jogos, de forma a não perder receita de bilheteira;"

    Aqui esta um factor que e preponderante, a capacidade de como somos um clube com poucos recursos temos que ser um clube que pense a frente dos outros e chegar primeiro a jogadores com qualidade, e isso so se consegue vendo muitos jogadores a jogar para termos um leque de opcoes que nao sejam de risco, como e apostar num jovem no seu 1 ano de senior que varios factores podem fazer com que nao corra muito bem!


  52. Nuno Miguel Says:

    Boa tarde

    Acho que o Luís acertou na mouche quando fala em contratar um director desportivo. Eu diria mais: contratar pessoas competentes para lugares importantes, não apenas o de director desportivo.

    Eu acho importantíssimo o tempo que a nossa direcção e seccionistas dedicam ao clube, que imagino seja graciosamente e que mantém a funcionar o nosso clube. Mas acredito que certas coisas para serem bem feitas exigem comprometimento total e profissionalismo.

    Dou como exemplo o que se passa com a imagem e ,erchandising no SCS 08. Depois de anos sem saber muito bem quem geria tudo o que tivesse a ver com produtos do SCS apareceu esta empresa chamada Padrão Certo, se não me engano e vemos cachecóis bem desenhados, uma imagem gráfica coerente, de qualidade e apelativa, e activa. Ora, não sei se a empresa é paga ou faz isso graciosamente, mas sei que são profissionais e sabem do seu ofício e são pessoas assim que precisamos no nosso clube.

    assim, penso que teríamos a ganhar se, em vez de termos 5 ou 6 pessoas a colaborar no nosso clube com a maior das boas vontades mas limitados em tempo e qualificações, tivéssemos por exemplo um director desportivo, pago, com responsabilidades e objectivos.

    Como o futebol é a modalidade que nos traz mais notoriedade, receitas e potenciais ganhos futuros, acho necessário contratar alguém que:

    organize, estruture e caso seja necessário reformule a nossa formação.

    garanta que a nossa formação tenha qualidade suficiente para fornecer uma percentagem mínima da nossa equipa principal

    trabalhe no sentido de dotar o futebol em todas os escalões das condições mínimas e consistentes com os objectivos futuros do clube.

    para isso terá de ter, dentro das possibilidades, os recursos necessários, e poder para sugerir e implementar as mudanças que entender necessário.

    Terá também de ter os resultados avaliados periodicamente e contrato renovado caso os resultados sejam satisfatórios.

    Claro que um trabalho destes exige uma enorme disponibilidade de tempo, e grande competência, por isso deverá ser necessário algum investimento, mas acho que investir numa pessoa destas tem mais retorno que contratar jogadores, ou aumentar excessivamente os prémios.

    E devemos, caso seja decidido preencher um cargo desses procurar as pessoas mais compententes e ambiciosas independentemente da sua côr clubística. Ou ligação ao nosso clube.

    Será que e possível com os meios que temos?

    Temos dezenas de recém licenciados da faculdade de desporto da Universidade do Porto bem perto. Alguns com muita competência e vontade de trabalhar na área de gestão, e desenvolvimento de competências na área do futebol. Não poderiam ser alvo de um convite para desenvolver um trabalho como este? Somos um clube com pouco dinheiro para oferecer mas acredito que um desafio destes ficaria bem no currículo de muitos que querem enveredar por uma carreira no futebol. Poderá ser uma hipótese?


  53. Magalhães Says:

    Conheço um clube pobre, humilde, com muitos anos de vida:
    * Não tem Estádio de Futebol
    * Não tem um Pavilhão Desportivo
    * Não tem uma Sede Social
    * Não tem uma piscina
    * Não tem um numero de sócios que lhe forneça mensalmente verbas para os seus atletas
    * Tem dividas de milhôes para a Segurança Social
    * Tem dividas de milhões com as Finanças
    * Tem dividas de milhôes com EX Atletas
    Lanço aqui mais uma questão:
    CONSEGUEM SABER QUAL O CLUBE QUE ESTOU A FALAR???

    Por aqui termino os comentários sobre directores desportivos, sobre licenciados (já existem no clube a trabalhar GRATUITAMENTE), etc, etc, e para que não nos esqueçamos; actualmente usamos as instalações em Vidal PInheiro porque o Metro assim o permite, um dia podemos ficar sem NADA, e os "Salgueiristas" ainda falam que é muito caro ser Sócio, pois pagar 5 Euros para o SCS e 5 Euros para o SCS08 não os motiva.
    No próximo dia 25 Junho vamos ficar na mesma; ou seja, vamos ter uma Assembleia cheia de NADA.
    Como Salgueirista espero não voltar a assistir a um filme que data de 2004, espero poder passar este meu sentimento para os meus filhos, e para isso SÓ preciso que o Salgueiros se recupere e equilibre.
    Ao longo dos anos temos vindo a definhar, seja na estruturs fisica, seja na Massa Associativa, só os Salgueiristas podem inverte esta situação.
    Deixo esta reflexão para os que como eu Amam este clube e fazem gosto em o dizer e sentir.


  54. RF3 Says:

    O que atrai novos socios penso que todos concordamos que sao as boas exibicoes e os resultados de vitoria,e se no ano passado no fim de epoca tinhamos uma exlente opurtunidade para se fazer uma campanha vantajosa e mais atraente monetariamente, nesta altura e dificil , a equipa jogou "mal" os resultados nao foram os desejados!

    Porque nao tentar alargar tambem e tentar ter 2 ou 3 pessoas jovens recem licenciados ou ate mesmo que tenham concluido o nivel 1 ou 2 e para observarem adversarios e ate mesmo observar jogadores para conseguirmos chegar sempre primeiro aos que tem qualidade,e sabermos como jogam as equipas que nao connhecemos e vamos encontrar sempre na semana seguinte!


  55. Almeida Says:

    Boas a todos
    Bom em primeiro lugar cumprimento todos os participantes,pois tenho a certeza de que estão todos preocupados com a vida do nosso SCS.
    Sabemos que não é fácil,arranjar receitas,ter algumas centenas de atletas,em várias modalidades,não temos instalações enfim que mais nos ira acontecer.
    Pois bem penso que o clube embora precise de ter formação, deveria reduzir em areas de formação que de momento possam acarretar despesas acrescidas,pelo motivo de na minha maneira de ver ser o futebol a base fundamental para que o nome do clube e a velha alma continue a ser cada vez mais forte.
    aumentar as receitas muito não questiono aquilo que 10€,SCS+08,por mim ficaria assim por tempo limitado poe ex: 2nos,sugeria um campanha para novos sócios por ex: 5 € acho que se captavam novos e mesmo antigos s´cios aumentando assim as receitas e desta forma nunca perderemos de vista aquilo que move a maior parte de todos nós que é o futebol,claro que esta minha ideia tem meramente a força a vontade e o querer de quem gosta do salgueiros e tem a esperança de o ver cada vez mais alto.
    --Instalações se o salgueiros estivesse ligado a automóveis a CMP já o tinha ajudado mas como é uma instituição de utilidade publica desportiva é o que sabemos,sugestão trocar os votos por alguem que no futuro se proponha a defender o salgueiros nomeadamente no que diz respeito as instalações desportivas e não pensem que davam poucos votos.
    Em relação a contas confio e acho que as pessoas estão a fazer o seu melhor,só lhes peço que façam tudo por tudo para que o futebol se mantenha para alimentar a nossa alma.

    A.Lucas


  56. Ima Says:

    Bom, nem sei muito bem por onde começar. Desde que me lembro, mesmo antes de saber ler ou escrever, já me auto-intitulava como Salgueirista. Foi com enorme tristeza que vi o meu clube cair. Mas, graças à coragem e amor de alguns, o clube está aos poucos e poucos a renascer. Portanto, fazem-me imensa confusão as tantas críticas pessoais ou não construtivas que se têm feito; sejam críticas à C.A, sejam à equipa técnica ou aos jogadores. Não existiriam jogos, resultados e muito menos alegrias ou tristezas sem uma destas premissas. E tenho a certeza absoluta que todos os dias, todos os jogos, todos os elementos do Salgueiros dão tudo por tudo para dignificar o nosso clube. Como tal, faz-me imensa confusão ler/ouvir que os resultados não foram bons. Eu pergunto-me se a equipa jogasse um futebol de encher a vista, mas que, por infelicidade, acabasse o campeonato em 3º ou 4º lugar e não subisse de divisão. Gostava de ver e ler esses mesmos "críticos".

    Para mim, basta saber que temos pessoas a dar a cara pelo clube, que se empenham e que dão tudo o que têm e o que não têm por este clube, por este nome, por esta instituição. Basta ir aos jogos e ver que mesmo que não joguem bem – ou, pelo menos, como gostaríamos --, nota-se no empenho e dedicação que têm. Isso basta-me. Acho que um pouco mais de bom senso, às vezes, caía bem melhor a todos. Não digo apenas com base neste post, mas sim ao longo de todo o blog, bem como nos jogos. Não sou um comentador assíduo do blog, mas venho cá ler todos os dias.

    Passando ao tema propriamente dito. Começo por frisar que não sou sócio. Tenho 23 anos, sou estudante universitário deslocado, ou seja, estou fora do Porto a estudar e, como tal, tenho custos bastantes elevados, mas, mesmo assim, cada vez mais tenho vindo a pensar em cortar nas despesas para poder tornar-me sócio do meu clube. Não é um processo fácil, pois não tenho por hábito pedir nada aos meus pais e o rendimento que tenho não é muito e mal dá para pagar propinas/ habitação/ alimentação/ transportes/ custos com o curso. Tenho ido, sempre que estou pelo Porto e que posso, ver os jogos do Salgueiros. Não é muito, mas é o que posso dar neste momento. E se não dou o que queria – e sei que o que dou é relativamente pouco ao que o que o clube me dá –, não posso muito exigir mais. E o que é que o clube me dá? Prazer, prazer em falar do meu Salgueiros aos meus amigos. Prazer de ir aos jogos e gritar golo, de cantar, de puxar pela minha equipa (a única que me faz ir a um campo de futebol!), das tristezas quando perde ou empata. Tudo isto para mim é essencial e basta-me. Dizem muitos que a equipa jogou mal este ano, eu, em termos globais não acho. Mas o objectivo principal foi conquistado. Subimos. Subimos com quase 90% de jogadores da nossa escola e com uma equipa bastante jovem. E eu sou a favor da continuação na aposta dos valores que temos no clube; são eles os nossos activos.


  57. Ima Says:

    Depois de um desabafo, deixo aqui uns pontos que penso importantes:
    A ideia de parceria com a Universidade do Porto (UP) e, mais propriamente, com a Faculdade de Desporto (ou porque não o ISMAI?) parece-me bastante interessante e que, se bem pensado e aproveitado, pode ser desenvolvido para benefício de ambas as instituições. A, também já dita, divulgação nos estudantes da UP é bastante atraente, mas terá de ser muito bem pensada de como promover isto de forma a tirar o maior proveito com o mínimo de custos. Contudo, – e Luís, corrija-me se estiver errado –, penso que só há especialidades nas quotizações para os reformados e menores, como tal acho que abrir uma excepção para estudantes universitários seria vantajoso para o clube. E não digo só nas quotizações, mas também descontos nos jogos em casa poderiam igualmente ser um bom chamariz para ter mais sócios e adeptos nos jogos.

    Não posso falar, sem ser pura especulação, sobre alguns dos pontos deixados no ar pelo Luís.
    Sem se saber qual o real peso de cada secção nas receitas/despesas do clube é quase impossível ter uma opinião se o Salgueiros deve ser ou não eclético. Penso que a melhor solução para este problema será mesmo, a já adiantada pelo Luís e por outros participantes, a auto-suficiência das modalidades apenas com algumas ajudas orçamentais do clube. Penso, também, que aqui poderá estar um dos grandes problemas da “asfixia” orçamental do clube. O trabalho social que o Salgueiros faz é fantástico, mas não será a âncora do clube? Esperemos que as próximas autarquias vejam o desporto como uma forma de enriquecer o capital social dos nossos jovens e que actuem como tal.
    Não vejo, pelo menos no curto prazo, a existência de instalações próprias. Acho que é um ponto fulcral para o desenvolvimento e estabilização do projecto mas que, neste momento, é impensável. O caminho mais acertado será continuar credibilizar o nome do Salgueiros, continuar a diminuir o passivo, e continuar a fazer a pressão para que haja instalações camarárias para podermos usufruir. Só assim é que, a meu ver, conseguiremos reduzir grandes custos em instalações e equilibrar as contas.


  58. Ima Says:

    Sinceramente acho que esta próxima época desportiva irá ser decisiva no que diz respeito à vida associativa do clube. Pessoalmente – e como já referi anteriormente – acho que o clube deverá continuar a apostar na formação de jogadores do clube e procurar um ou outro jogador de formação de outros clubes da cidade. Se conseguir alguns (um ou dois) “veteranos” que já passaram em outros tempos pelo clube e que estejam agora em escalões inferiores também seria de aproveitar. É necessário criar uma equipa forte, jovem, mas madura que saiba lidar com estas pressões. Se assim for, penso que o Salgueiros poderá subir até à 3ª Divisão Nacional. Depois com uma boa política administrativa e desportiva poderemos gradualmente subir escalão a escalão nacional. É preciso fazer do Salgueiros uma boa “montra” tanto para os nossos como para outros jogadores. Se não há dinheiro, tem de ser pelo nome que o Salgueiros tem e isso será um ciclo: tentar formar bons jovens e bons profissionais, vender bem e continuar a formar e a atrair novos valores. Mas isso não pode partir só do próprio clube, tem de partir, também, dos sócios, adeptos e simpatizantes. Todos temos de ajudar: nem que seja com uma crítica construtiva e com uma maior e melhor participação.



    Cumprimentos,

    Emanuel Henriques


  59. camapaco Says:

    Quem tem lido os meus comentários quer através do blogue.UNIDOSAOSALGUEIROS.BLOGSPOT.COM quer por textos expressos no forum futebolar, sabe que eu sou um defensor de se aplaudir o esforço do renascimento do Salgueiros08 e do projecto que engloba, fundamentalmente 2 pontos:
    -1º Atingir o primeiro patamar de um Campeonato Nacional.
    -2º Depois de pagas as dividas repor a verdade do acesso a um campo próprio dentro da cidade do Porto fazendo justiça á decapitação que o SALGUEIROS foi sujeito em plena praça pública.
    -3º A cidade do Porto tem esta obrigação por todos os meios autarquicos se é que é verdade ser uma cidade de Património Mundial para TODOS.

    SAUDAÇÕES SALGUEIRISTAS DO COSTA


Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.


  • PRóXIMO JOGO

    SCS08 x NOGUEIRENSE
    SAB., 15 FEV. 15:00
    EST. PADROENSE



    COMENTÁRIOS

    ETIQUETAS